Tire o melhor proveito das relações de implicação entre os enunciados

As linhas de pensamento e argumentação de textos dissertativos não devem sofrer solução de continuidade em consequência da má utilização dos conectores e dos sinais de pontuação.

É sempre oportuno recordar o espectro dessas possibilidades. Assim, ao lado de cada caso você encontra um exemplo:

Relações de implicação por coordenação:

  • Orações coordenadas assindéticas: Cheguei, vi, venci.
  • Orações coordenadas sindéticas (introduzidas por conjunções coordenativas):
    • aditivas: Cumprimentei-o e fui embora.
    • adversativas: Você sorri muito, mas não está feliz.
    • alternativas: Esforçamo-nos ou experimentamos o fracasso.
    • conclusivas: O dia está nublado; não iremos, pois, à praia.
    • explicativas: O baile já acabou, pois reina o silêncio.

Relações de implicação por subordinação:

  • Orações subordinadas substantivas (introduzidas por conjunção subordinativa integrante “que” ou “se”):
    • subjetivas: É importante que você volte.
    • objetivas diretas: Não respondi se concordo ou não com a proposta.
    • objetivas indiretas: Não duvide do que ela seja capaz.
    • predicativas: A verdade é que ele prevaricou.
    • completivas nominais: Estou certo de que passarei no vestibular.
    • apositivas: Desejo-te somente isto: que sejas feliz.
  • Orações subordinadas adjetivas (introduzidas por pronomes relativos):
    • explicativas: Os alunos, que estavam motivados, brilharam como nunca.
    • restritivas: Próspero é o país cujos eleitores são criteriosos.
  • Orações subordinadas adverbiais (iniciadas por conjunções subordinativas, exceto as integrantes):
    • causais: A chuva não tarda, porque as nuvens estão carregadas.
    • comparativas: Certos políticos falam mais do que fazem.
    • concessivas: Embora estivesse constrangido, respondeu a todos.
    • condicionais: Se convidado, vá à festa.
    • conformativas: Estudamos até tarde, como havíamos combinado.
    • consecutivas: O frio era tanto que ficamos em casa.
    • finais: A fim de aproveitar o dia, levantei mais cedo.
    • proporcionais: Quanto mais se tem, mais se quer.
    • temporais: Sempre que viajo, visito boas livrarias.

Agora é com você!

Sempre que estiver escrevendo, procure observar a adequação das relações de implicação entre os enunciados.

Bons estudos!

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s