Dado um texto literário, como planejar uma dissertação?

Primeiramente, procure reconhecer o assunto do texto de apoio.

Depois, desvende a tese do texto de apoio (ou seja, a ideia que o autor possa estar defendendo).

Escreva a sua tese, concordante ou discordante da do texto de apoio, conforme o caso.

Levante argumentos que possam sustentar a sua opinião.

A seguir, planeje o seu texto.

Sugerimos, para redações de até 30 linhas, o seguinte esquema:

Introdução: breve contextualização (se for o caso) + apresentação da tese (o seu ponto de vista sobre a situação-problema do texto-base ou da coletânea de textos) + dois ou três argumentos pessoais que sustentem a sua tese (na ordem crescente de importância) + plano de curso (como o texto será desenvolvido) + objetivo(s) do trabalho.

Parágrafos mediais: reapresentação dos argumentos na forma de tópicos frasais de seus respectivos parágrafos (na mesma ordem segundo a qual tenham sido apresentados na Introdução) + expansão (por meio de exemplos, dados numéricos, constatações, analogias, aplicações etc.).

Conclusão:  expressão inicial (facultativa) + reafirmação da tese do seu texto (a mesma apresentada na Introdução, mas com outra construção frasal) + apresentação de soluções/sugestões à situação-problema da questão (se for o caso) + apreciação final.

Agora é só treinar, treinar e … treinar!

Falta de domínio da língua dificulta acesso ao mercado de trabalho

Falta de domínio da língua é a principal causa de eliminação de estudantes em teste de estágio para nível superior

O estágio é o primeiro passo para quem pretende ter uma oportunidade no mercado de trabalho após a graduação.

Ao participar de um processo seletivo para esse tipo de vaga o estudante precisa considerar que se trata de uma possível oportunidade de colocação no mercado no futuro.

Muitos, no entanto, não estão preparados para encarar a entrevista e pecam em competências básicas.

Pesquisa feita pelo Núcleo Brasileiro de Estágios (Nube), entre 1º de janeiro e 31 de julho de 2014, mostrou que mais de 62% dos 6.175 candidatos que fizeram testes de estágio de nível superior na organização reprovaram.

Os motivos foram os mais variados, porém o principal deles é a falta de domínio do português.

Mariana Niederauer, (fonte: www.correiobraziliense.com.br, acesso em 19/7/14).

Para aprofundar os seus estudos, adquira um dos nossos livros.

Não deixe de treinar à exaustão a produção textual.

Bons estudos!

 

Busque a simplicidade!

O seu texto não precisa estar rebuscado com figuras de linguagem, palavras de difícil entendimento e construções frasais eruditas.

Entenda que o artificialismo (linguagem forçada) poderá ser-lhe prejudicial.

Acredite: em se tratando de textos de concursos, exames e vestibulares, simplicidade é virtude!

Não confunda, entretanto, simplicidade com pobreza de ideias.

Assim, dê o recado na medida certa, sem devaneios nem excessos.

Faça uso de uma linguagem predominantemente denotativa, clara e retilínea, preferencialmente na ordem SPC (Sujeito – Predicado – Complementos).

Evite os rodeios desnecessários: para que tentar impressionar a banca de correção com tergiversações?

Elimine as “gorduras textuais”, ou seja, todo adereço literário que possa ser tirado do texto sem lhe causar prejuízos.

Assim, antes de passar o texto a limpo, faça uma boa faxina, eliminando as indefinições (artigos e pronomes), os sinais de pontuação dispensáveis e as redundâncias.

Para aprofundar o estudo, adquira os nossos livros DISSERTAÇÃO NOTA MIL e  REDAÇÃO PARA VESTIBULARES, CONCURSOS E ENEM.

Seja você mesmo(a)!

Esteja aberto(a) a sugestões, mas adote estilo próprio de escrever.

Logicamente, você não deve sair do padrão culto de manifestação do pensamento.

Creia no seu potencial e na sua criatividade.

Você pode até inspirar-se nos outros, mas jamais tente copiá-los.

Estude com afinco e aplique tudo o que aprender.

Não se intimide, acredite na superação de eventuais dificuldades com perseverança e continuada dedicação aos estudos.

Entenda que a sua evolução acontecerá aos poucos, semana a semana, texto a texto.

Com o passar do tempo, você passará a degustar o prazer de escrever e de conseguir cada vez melhores resultados em suas redações.

Vamos lá? Comece hoje mesmo!

Tenha opinião própria!

Além de muito bem interpretar os enunciados, você deverá revelar ser capaz de posicionar-se sobre os assuntos em pauta nas questões de redação mediante a redação de uma tese.

Ainda mais, deverá estar apto(a) a sustentar essa tese com argumentos precisos e coerentemente articulados.

Depois de lido o enunciado da questão de redação e depreendido o tema sobre o qual você precise dissertar em até 30 linhas, algumas perguntas deverão vir à mente antes de qualquer iniciativa, tais como:

  • Qual a minha opinião sobre esse assunto?
  • Com que argumentos eu poderei defender essa minha opinião?
  • Existem exemplos, dados estatísticos, notícias ou quaisquer outras informações que possam ilustrar ou fortalecer a forma como eu penso?

Importante: ao emitir a sua opinião, escreva em tese para um leitor universal.

Assim sendo, não use a primeira pessoa do singular nem empregue verbos fracos. Ainda mais, não generalize!

Exemplo: Eu acho que os políticos continuam sendo corrompidos pelo jogo de interesses pessoais.

Há três problemas nessa tese: 1º) O uso do “eu”; 2º) O emprego do verbo “achar”, muito fraco para a emanação de uma opinião; 3º) A generalização.

Corrigindo: Denúncias do poder público e investigações da Polícia Federal têm confirmado que boa parte dos políticos continuam sendo corrompidos pelo jogo de interesses pessoais.

Para aprofundar o estudo, adquira os nossos livros Dissertação Nota Mil Redação para Vestibulares, Concursos e Enem.

E a interpretação ou intelecção de textos, como vai?

Procure treinar também a resolução de questões de interpretação e intelecção de textos.

Não basta conhecer apenas as técnicas da produção textual propriamente dita.

Você não pode ser traído(a) por qualquer desatenção ou sutileza do pedido.

O candidato(a) ingênuo(a) ou apressado(a) corre o risco até de escrever sobre o que não se pediu.

Por exemplo, vários candidatos de determinada prova de vestibular que lhes pedira produzir uma dissertação sobre os benefícios do lazer (descanso, repouso, passatempo), escreveram verdadeiros tratados sobre os benefícios do laser (radiação eletromagnética com inúmeras aplicações industriais e científicas) e, por justo motivo, receberam nota zero.

Há propostas de redação que já oferecem o tema sobre o qual você deva dissertar, como este: Disserte sobre a importância dos hábitos de leitura.

Outras, entretanto, mais seletivas, apresentam comandos que obrigam o(a) candidato(a) a inicialmente ler e interpretar textos, tiras, charges, fotografias, gráficos e quaisquer outras informações de apoio para, somente depois, depreender o tema sobre o qual deva dissertar, como em Disserte sobre o tema depreendido da leitura e interpretação da charge acima.

Treinar, portanto, a resolução de questões objetivas de interpretação e intelecção de textos desenvolverá a sua acuidade e evitará que você escreva sobre o que não se tenha pedido.

Olho vivo!

Não seja precipitado(a)!

Precipitar-se na abordagem da questão de redação é sinal de falta de juízo! E isso poderá custar-lhe muito caro.

Diante de uma proposta de redação, mantenha a calma e a concentração.

Lembre-se sempre de que você estará sendo avaliado(a) inicialmente quanto à sua capacidade de leitura, intelecção e interpretação do enunciado e depreensão das imposições do pedido.

Depois, sim, você será observado(a) quanto à desenvoltura linguística, ao poder de análise e síntese, à coerência e ao descortino, dentre os principais aspectos.

Leia o pedido da questão com muita atenção.

 Se necessário, releia-o várias vezes, assinalando as servidões, ou seja, os comandos da questão.

Para tal, aconselhamos sublinhar os verbos de ação.

Somente depois de muito bem entendido o que se quer de você, inicie a fase do planejamento do texto.

Não escreva intuitivamente!

Planejar o texto é assegurar-se de bem cumprir a missão de responder ao pedido da questão.

Em nossos livros Dissertação Nota Mil e Redação para Vestibulares, Concursos e Enem você encontra todos os passos de um bom planejamento.

Não se descuide do preparo físico!

O esgotamento físico tem levado muitos candidatos a não completar o programa de estudos planejado ao início de cada ano.

Sendo assim, busque orientação de profissionais de educação física que possam acompanhá-lo(a) na manutenção do melhor condicionamento durante a caminhada (ou corrida?) para a consecução de metas.

Você não precisa virar um(a) superatleta de uma hora para outra. Basta que pratique aquela(s) modalidade(s) de sua preferência.

Acredite: a prática de esportes não é tempo perdido. Pelo contrário, é investimento!

Para isso, contabilize o tempo consumido no treinamento físico em sua agenda semanal, assim como você faz com a matemática, o português e as demais disciplinas.

Quem não se prepara fisicamente corre o risco de chegar à exaustão prematuramente e não atingir os objetivos colimados para o ano.

Uma pergunta: já deu a sua corridinha hoje?

Saúde!

Pratique a escrita regularmente.

O desempenho mínimo desejável de um(a) candidato(a) determinado(a) é de dois textos de até 30 linhas por semana.

É muito importante, em casa, durante os treinamentos, reproduzir as condições da realização da prova de seu interesse.

Considere que a mente precisa ganhar condicionamento para ficar retida ininterruptamente na execução de determinadas tarefas intelectuais.

Para tal, desligue o celular e não permita ser interrompido(a) enquanto estiver planejando e produzindo o seu texto de treinamento.

Não deixe para intensificar os treinamentos apenas um pouco antes da prova. Esse é um grande erro de muitos candidatos. Poderá ser tarde demais para ganhar condicionamento!

Mantenha uma forte e regular rotina de treinamentos até a semana anterior à do dia da prova.

Dias antes da prova, reveja os textos corrigidos que você tenha produzido durante a fase da preparação e atente para as observações assinaladas pelos(as) professores(as).

Lembre-se:  a manutenção da disciplina no cumprimento dos objetivos de cada semana de estudos é fator primordial ao sucesso em questões de concursos e vestibulares.

Bons estudos!

Você já tem um grupo de estudos?

Conselho para este início de ano: forme um grupo de estudos para a troca de ideias sobre temas da atualidade e realização de simulados.

Os amigos mais chegados, desde que sejam afins, podem ser os seus melhores professores na discussão de assuntos de prova.

Três ou quatro deles é o número máximo desejável, porque grupos mais numerosos geram dispersões e comprometem o rendimento.

Dê um toque de profissionalismo às reuniões: elabore programações mensais a serem cumpridas, eleja as pautas de assuntos a serem discutidos e programe atividades a serem desenvolvidas em cada encontro.

Sugestão: agende simulados por conta própria, muito dos quais estão disponíveis na internet, discuta a sua resolução e, depois de tudo, saia com os amigos para comer uma pizza e relaxar.

Bons estudos!