Contribuição semântica das preposições iniciadas pela letra “e”

Observe, no quadro abaixo, as diferentes relações de sentido que as preposições essenciais iniciadas pela letra “e” podem atribuir ao texto.

No livro Dissertação Nota Mil, do prof. Soares Elias, você encontra o quadro completo das possíveis relações de sentido das preposições.

Conhecê-las e saber empregá-las contribuem, por um lado, para a precisão e coerência da linguagem quando do desenvolvimento da linha de argumentação e, por outro, para a exatidão da interpretação textual.

 

 

em

 

 

 

 

 

Lugar Estivemos em Porto Alegre.
Modo Em desespero, o fugitivo invadiu a creche.
Tempo Estarei aí em cinco minutos.
Causa Lamentei em não passar no vestibular.
Finalidade O pai, em agradecimento, abraçou todos os filhos.
Matéria Em alumínio, a taça não enferrujará.
Instrumento Guardei os seus bilhetes no (em+o) cofre.
Meio O guarda, em ação arbitrária, multou os motoristas.
Preço O passe do atleta ficou em 10 milhões de reais.
entre Lugar Posiciono-me entre os melhores alunos do colégio.
Tempo Entre as duas e três horas da tarde estarei aí.
Quantidade Havia no auditório entre 400 e 500 pessoas.
Companhia Terminei a prova entre os últimos a chegar.

Considere a semântica das preposições

Cada preposição, conforme esteja sendo empregada no texto, atribui diferente sentido ao encadeamento da linha de argumentação.

Observe, no quadro abaixo, exemplos de frases com variados empregos de preposições essenciais iniciadas com a letra “d” e constate os efeitos provocados em cada caso:

 

 

 

 

 

de

 

 

 

 

 

 

Modo Cheguei de supetão.
Lugar De perto a primeira impressão muda.
Tempo Fui à aula de tarde.
Instrumento Pintei a parede de pincel.
Causa Estou morrendo de sono.
Matéria A estatueta é de madeira.
Intensidade Ensaiou de cansar das inúmeras repetições.
Negação De maneira nenhuma desejo mal a você.
Posse Este carro é de Joana.
Finalidade Faca de cortar peixe é diferente das demais.
Assunto Não gosto de fofocas.
Origem De uma discussão boba surgiu a inimizade.
 desde Lugar Vim a pé desde o shopping.
Tempo Estudo inglês desde os seis anos.
Condição Fale, desde que moderadamente.
Causa Não vou à praia, desde que preciso estudar.

Recorde a contribuição das preposições

As preposições, como você bem sabe, são importantes conectores para a articulação de nossas linhas de pensamento.

Saber empregá-las adequadamente dá o sentido desejado ao textofortalece a argumentação.

Ademais, conhecer as suas contribuições semânticas conforme cada construção frasal  permite-nos interpretar textos com exatidão.

Recorde as possíveis relações de significado das preposições essenciais iniciadas com a letra “c”:

 com Companhia Iremos ao cinema com você.
Soma Dois com dois dá quatro.
Modo O juiz decidiu com rigor.
Instrumento Abri a porta com um pontapé.
Condição Com oportunismo, você venderá todos os livros.
Causa Estou feliz com a sua aprovação no vestibular.
Tempo Com duas semanas de treino, os resultados já serão visíveis.
Conformidade Estamos com o seu pensamento.
Lugar Com um sítio tão aprazível, resta-nos descansar.
Concessão Com a chuva, assim mesmo fomos treinar.
Meio Vou ao trabalho com a minha moto.
contra Lugar O carro bateu contra o muro da faculdade.
Adversidade Somos contra qualquer tipo de violência.
Comparação Consegui dez pontos contra a média de oito dos demais alunos.

Não deixe de treinar a produção textual, pelo menos duas vezes por semana, sem a qual você não enfrentará as naturais dificuldades de quem se dispõe a dissertar com desenvoltura em concursos públicos, vestibulares e no Enem.

Bons estudos!

Recorde o uso das vírgulas nos períodos compostos

Nos períodos compostos

Quando usar: para separar…

Quando não usar: entre…

… orações coordenadas não ligadas por “e”: Chove, porém sairei de casa. …duas orações coordenadas e ligadas por “e” (quando o sujeito da segunda oração for o mesmo do da primeira): O time jogou mal e voltou desclassificado.
… orações subordinadas adverbiais (principalmente as que aparecem deslocadas para o início do período): Caso eu melhore da gripe, irei à praia. …oração principal e oração subordinada substantiva: O suspeito garantira-nos que confessaria o crime.
… orações subordinadas adjetivas explicativas: Deus, que sempre esteve ao nosso lado, é fiel. …oração principal e oração subordinada adjetiva restritiva: Os pedidos que chegaram ao professor foram atendidos.

Recorde o uso das vírgulas nos períodos simples

 

Nos períodos simples

Quando usar: para separar…

Quando não usar: entre…

…termos coordenados: Rimos, brincamos, namoramos. Belo sábado! … o sujeito e o predicado: Bons comerciantes visam ao lucro em qualquer oportunidade.
…termos explicativos: Ser nobre, por exemplo, é saber perder.
…apostos: Fortaleza, capital cearense, é conhecida como Cidade-Sol. … o verbo e o objeto: Os ingratos não se lembram de agradecer.
…vocativos: Não se vá, filho, sem antes me dar um beijo. … o nome e seus adjuntos adnominais e complemento nominal: O escritor mora naquela casa amarela. / Ficamos felizes com a sua atitude. 
…elementos paralelos de provérbios e ditos populares: Cabeça vazia, oficina do diabo.
…adjuntos adverbiais deslocados: A insegurança, à noite, é mais preocupante. … dois termos ligados por “nem” ou “e”: Não fui ao clube nem à praia. / Compramos laranjas e peras.
…indicar a omissão do verbo: Vocês gostam de cantar; nós, de dançar.

Fuja dos verbos genéricos

Evite verbos que caibam em qualquer contexto, tais como fazer, pôr, dizer, ter, ver e colocar.

Substitua-os por outros mais precisos que caracterizem melhor a ação sugerida e contribuam para a concisão do texto.

Veja alguns exemplos:

Em vez de… Prefira…
Fazer uma redação. Redigir uma redação.
Fazer uma fossa. Cavar uma fossa.
Fazer uma estátua. Esculpir uma estátua.
Fazer aniversário. Comemorar aniversário.
Pôr dinheiro no banco. Depositar dinheiro no banco.
Pôr os filhos na escola. Matricular os filhos na escola.
Pôr uma roupa. Vestir uma roupa.
Dizer adeus. Despedir-se.
Dizer poemas. Declamar poemas.
Dizer exemplos. Citar exemplos.
Ter dor de cabeça. Sentir dor de cabeça.
Ter medo de cachorro bravo. Temer cachorro bravo.
Ter boa reputação. Gozar de boa reputação.
Ver o jogo de futebol. Assistir ao jogo de futebol.
Ver os pormenores do processo. Observar os pormenores do processo.
Ver a beleza de um quadro. Admirar a beleza de um quadro.
Colocar as gavetas em ordem. Organizar as gavetas.
Colocar acentos nas palavras. Acentuar as palavras.
Colocar o carro no estacionamento. Estacionar o carro.

 Agora é com você!

 

 

 

 

 

 

 

 

  

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  • Aplicação 57: Substitua em seu caderno os verbos genéricos em destaque: A aluna teve dificuldades nas provas. / A esposa do meu primo teve gêmeos. / Mariana colocou o uniforme do colégio. / O professor disse: – Estudem mais! / Vou fazer um discurso em nome de nossa turma. / O policial viu o acidente. / Estou fazendo uma música de carnaval. / Terei apenas duas semanas de férias. / O presidente disse não ao pedido do sindicato.

Sobre a vírgula

Observe, a título de ilustração, o texto veiculado no site da Associação Brasileira de Imprensa (ABI) por ocasião do seu centésimo aniversário:

             Sobre a Vírgula

Vírgula pode ser uma pausa… ou não.

Não, espere.

Não espere.

    

Ela pode sumir com seu dinheiro.

23,4.

2,34.

 

Pode criar heróis.

Isso só, ele resolve.

Isso só ele resolve.

 

Ela pode ser a solução.

Vamos perder, nada foi resolvido.

Vamos perder nada, foi resolvido.

 

A vírgula muda uma opinião.

Não queremos saber.

Não, queremos saber.

 

A vírgula pode condenar ou salvar.

Não tenha clemência!

Não, tenha clemência!

 

Uma vírgula muda tudo.

ABI: 100 anos lutando para que ninguém mude uma vírgula da sua informação.

 

 

Empregue adequadamente cada modo e tempo verbal

Empregar adequadamente cada modo e tempo verbal é um ponto crucial diante do qual você não pode vacilar.

Imagine uma Linha do Tempo (LT) sobre a qual sejam assinalados os Marcos Históricos do Texto (MHT) passado, passado do passado e futuro , todos referenciados ao Momento da Fala (MF).

Tomados em relação a esse MF, os fatos históricos poderão estar, na LT, assim posicionados:

  • 1ª) ser simultâneos ao MF: nesses casos, o tempo verbal mais recomendado é o presente do indicativo. Ex.: A inflação está fora de controle.
  • 2ª) ser anteriores (ações já terminadas) ao MF: flexione o verbo no pretérito perfeito. Ex.: A inflação esteve fora de controle.
  • 3ª) ser posteriores (ações a se realizarem) ao MF: utilize o verbo no futuro do presente. Ex.:  A inflação estará fora de controle.

Referenciados ao Marco Histórico Passado (MHP, anterior ao MF da LT), as seguintes situações poderão ocorrer:

  • 1ª) os fatos estão no passado em relação ao MF e são simultâneos ao MHP: conjugue o verbo no pretérito imperfeito. Ex.: Em 2008 a inflação esteve fora de controle.
  • 2ª) os fatos estão no passado em relação ao MF e são anteriores ao MHP (no passado de outro passado): flexione o verbo no pretérito mais-que-perfeito. Ex.: Em 2007 a inflação já estivera fora de controle (tinha estado ou havia estado) até chegar a níveis preocupantes no ano seguinte.
  • 3ª) os fatos continuam no passado em relação ao MF, mas são futuros em relação ao MHP: o verbo deverá estar no futuro do pretérito. Ex.:  Depois do choque inflacionário de 2008, os preços dos bens de consumo ainda continuariam fora de controle nos anos seguintes.

Em relação ao Marco Histórico Futuro (MHF, sempre referenciado ao MF), outras seguintes situações poderão ocorrer:

  • 1ª) os fatos estão no futuro e são concomitantes ao MHF: use o verbo “estar” no futuro de presente, seguido do gerúndio do verbo principal. Ex.:  A inflação estará atingindo níveis insustentáveis ao final do ano.
  • 2ª) os fatos continuam no futuro em relação ao MF, mas são anteriores ao MHF: empregue o verbo “ter” no futuro do presente, seguido do particípio do verbo principal. Ex.:  A inflação terá atingido níveis insustentáveis ao final do ano.
  • 3ª) os fatos são  futuros em relação ao MF e posteriores ao MHF: conjugue o verbo no futuro do presente. Ex.: A inflação atingirá níveis insustentáveis depois do final do ano.

Olho vivo!

Procure ampliar o seu banco de palavras

Você poderá referir-se a tempo com o uso de vocabulário diverso. Veja alguns exemplos:


Tempo

Exemplos

em geral substantivos época, era, ciclo, fase, idade, instante, momento, marco, período, século, temporada.
futuro substantivos porvir, proximidade.
adjetivos iminente, próximo.
expressões adverbiais em breve, futuramente, prestes a, proximamente.
passado substantivos priscas eras, tempos idos.
adjetivo distante, pretérito, remoto.
advérbio antigamente, distantemente, outrora, remotamente.
 

Para indicar frequência:  

adjetivos: constante, corriqueiro, costumeiro, eventual, frequente, habitual, ocasional, ordinário, tradicional, usual.

expressões adverbiais: amiúde, às vezes, com frequência, constantemente, eventualmente, frequentemente, muitas vezes, não raro, ocasionalmente, ordinariamente, por vezes, raramente, repetidamente, sempre.

Para indicar infrequência:

adjetivos: infrequente, raro, insólito.

expressões adverbiais: acidentalmente, de tempos em tempos, esporadicamente, inusitadamente, nem sempre, ocasionalmente, poucas vezes, raras vezes, raramente.

Para indicar progressão: 

locuções: à medida que, à proporção que, ao passo que.

expressões adverbiais: aos poucos, gradativamente, gradualmente, paulatinamente, progressivamente.

Para indicar localização:

substantivos: anterioridade, atualidade, nesse ínterim, posterioridade, simultaneidade.

expressões adverbiais: a princípio, afinal, agora, amanhã, anteriormente, ao mesmo tempo, atualmente, em seguida, enquanto isso, finalmente, hoje, ontem, posteriormente, pouco antes, pouco depois, por fim, simultaneamente.

Recorde o emprego do Modo Imperativo

No Modo Imperativo, as flexões verbais são as mais adequadas para indicar situações de mando, solicitações, convites, conselhos, tanto em discursos afirmativos como negativos.

Não é de se esperar, portanto, que ocorra a necessidade de usá-lo em textos dissertativos.

Recorde como formá-los:

  • afirmativo: origina-se das segundas pessoas do presente do indicativo (“tu” e “vós” sem o “s”) e das demais pessoas do presente do subjuntivo.

A primeira pessoa, por razões óbvias, não existe (seria uma loucura pensar em alguém dando ordem a si próprio). Exemplo: fala (tu), fale (você), falemos (nós), falai (vós), falem (vocês).

  • negativo: segue o modelo de flexão do presente do subjuntivo. Exemplo: Não fales (tu), não fale (você), não falemos (nós), não faleis (vós), não falem (vocês).

Olho vivo!