Tudo pela linguagem

A linguagem é o código por meio do qual as ideias do emissor chegam ao receptor e por ele são entendidas.

Quando se trata de dissertação, a formalidade impõe-se.

As gírias e os clichês, portanto, devem ser evitados.

A clareza deve ser buscada com construções frasais simples, preferencialmente na ordem direta e com vocabulário preciso.

Deve-se usar com muito cuidado as intercalações e as inversões, já que poderão trazer algum ruído ao entendimento do texto.

A coesão e a coerência podem ser conseguidas com planejamento acurado de como se deva apresentar e desenvolver cada ideia e adequado emprego dos conectores e dos sinais de pontuação.

Aqui vão algumas dicas interessantes:

  • Prefira a linguagem positiva à negativa

Evite a linguagem negativa. Pelo contrário, busque construções que tornem o seu discurso o mais positivo possível!

Quando você diz “o que não é” no lugar “do que seja”, o texto se torna menos preciso; além do mais, tende para o negativismo, pode contaminar o todo e torná-lo enfadonho.

Exemplo: Em vez de “Não se acredita na  recuperação da economia.”, escreva “Desconfia-se da recuperação da economia.

  • Prefira a linguagem concreta à abstrata

Evite usar adjetivos abstratos, que não acrescentem atributos mais precisos aos substantivos, tais como maravilhoso (qual o seu entendimento de “maravilhoso”?), bonito (baseado em que parâmetros você atribui ao substantivo essa apreciação?), fantástico (o que possa ser “fantástico” para você pode não ser assim tão impressionante para o leitor).Prefira a linguagem concreta à abstrata

  • Prefira a linguagem específica à genérica

Não somente as formas positivas e concretas da linguagem são aconselháveis, mas também as específicas.

Para tal, evite fazer uso de termos genéricos, de significação muito ampla, de pouca especificidade, pois poderão comprometer a precisão do texto.

  • Fuja das indefinições

Os artigos e pronomes indefinidos um, uma, uns, umas, muitos, muitas, vários, várias, todos, todas e alguém, dentre outros, tiram a força dos substantivos, tornam-nos vagos e poluem o texto.

Fuja deles, pois, para tornar a sua linguagem dissertativa a mais precisa possível.

Experimente dispensá-los e verifique se haverá prejuízos à clareza do que você quis dizer; se não, na maioria das vezes é só omiti-los.

Exemplo: Preciso ler umas revistas sobre algumas atualidades para adquirir uma boa cultura geral.

Melhor redação: Preciso ler revistas sobre atualidades para adquirir boa cultura geral.

  • Tome cuidado com os pronomes possessivos de terceira pessoa

Os pronomes possessivos seu(s), sua(s) e lhe(s), dependendo da construção da frase, podem gerar ambiguidades (duplo sentido) como em Rafael disse à Joana que perdera o seu celular. (celular de quem?) / O pai pediu ao filho que alimentasse o seu cachorro. (cachorro de quem?) / João disse à mãe ter esquecido o conselho que a avó lhe passara. (a quem fora passado o conselho da avó?)

Agora é treinar, treinar e…treinar!

Bons estudos!

Você está “antenado(a)”?

Estar “antenado” significa ser participativo(a) e estar atento(a) à realidade do  seu contexto socioeconômico. 

Sim, a começar pelo da família, passando pelo do seu bairro, da sua cidade, do estado e país até chegar à leitura diária da conjuntura internacional.

Seja questionador(a), não aceite a realidade dos fatos sem antes refletir e perguntar a si próprio(a) se não poderia ser diferente ou melhor.

Procure praticar individual e rotineiramente o exercício intelectual de buscar possíveis soluções para problemas em todos os níveis da sociedade.

Por exemplo, o que dizer sobre alguns assuntos da atualidade que merecem reflexão: violência contra a mulher, evasão escolar, corrupção na política, queda na qualidade de vida do brasileiro, pouca credibilidade dos homens públicos, problemas econômicos nacionais, elevação nos índices de desemprego.

Ao estimular a mente para buscar soluções para as questões nacionais mais graves, você estará levantando ideias e argumentos que poderão ser muito úteis à Questão de Redação.

Assim procedendo, você desenvolverá a sua fluência argumentativa e otimizará as chances de dar-se bem em provas discursivas.

Se desejar aprofundar os seus estudos, adquira os nossos livros Redação para Vestibulares, Concursos e Enem e Dissertação Nota Mil.

Em Fortaleza, como livros impressos, você poderá encontrá-los nos Shoppings Aldeota (livraria Acadêmica) e Avenida (loja HBM).

Boa leitura!

Como anda a sua agenda semanal?

Você tem conseguido manter uma rotina de treinamentos?

Aqui vão algumas dicas importantes:

  • crie em sua agenda semanal pelo menos dois momentos para a produção textual de treinamento.
  • reserve para isso 1h30 para cada trabalho, tempo razoável para você produzir um texto de até 30 linhas.
  • durante os seus treinamentos, não admita ser interrompido(a), salvo em situações extraordinárias.
  • ainda mais: desligue o celular, sente-se confortavelmente e crie um ambiente o mais próximo possível do que você encontrará no dia da prova.
  • tenha por hábito guardar em ordem cronológica todos os textos produzidos na fase de preparação a fim de que possam sinalizar a sua evolução com o passar dos treinamentos.
  • vez por outra, consulte-os e reconsidere as observações assinaladas pelos corretores.
  • procure ser rigoroso(a) no cumprimento dos dias e horários das tarefas de treinamento traçadas.
  • Evite o cancelamento ou adiamento dos trabalhos. Lembre-se de que a procrastinação é um convite ao esmorecimento.
  • é sempre interessante pesquisar questões de concursos passados para conhecer o perfil da banca de elaboração das provas.
  • não deixe de programar atividades de lazer e de prática desportiva, afinal o condicionamento físico ajuda muito nesta fase de desgaste intelectual e emocional.

Bons estudos!

Primeira dica para o Ano Novo

Primeira dica para este começo de ano letivo: seja paciente consigo mesmo(a)!

Não queira tornar-se bom(boa) escritor(a) da noite para o dia como que em passe de mágica.

A maturidade linguística estará a caminho em um processo que, se para alguns parece longo demais, para outros, nem tanto.

Encare cada deslize observado pelo professor como nova oportunidade de retificação da aprendizagem.

Não admita, portanto, repetir os erros observados em trabalhos anteriores.

Seja paciente, mas não frouxo(a) na observância dos pontos que mereçam ser melhorados em sua redação.

Busque ser perfeccionista e rigoroso(a) no acatamento das correções sugeridas.

Não tolere comodismo nem admita desânimo.

Mãos à obra!

Novo ano, vida nova!

É tempo de renovação.

Desejamos que os sonhos para 2020 realizem-se como recompensa dos seus esforços!

Você já sabe, em se tratando de Redação para Vestibulares, Concursos e Enem, a capacitação é adquirida diariamente, passo a passo, mercê de rotinas de leitura e  produção textual.

O que mais lhe desejamos para o Ano Novo é saúde a fim de suportar o peso de toda a caminhada de estudos que está por vir.

Quanto ao mais, é perseverar na superação de dificuldades, jamais esmorecer!

Continue conosco em 2020!

Feliz Ano Novo!

 

Somente compare elementos de mesma natureza.

Todo cuidado é pouco com a linguagem, pois o menor dos descuidos poderá     induzi-lo a escrever impropriedades.

Seria ilógico, por exemplo, você comparar um elefante a uma cadeira, não é mesmo?

Pois bem, absurdo análogo pode acontecer, mesmo que de forma mais sutil, quando omitimos alguns termos da oração em casos de comparação.

Exemplo: A cor da laranja é diferente do abacate.

Ora, o que está em jogo nesse caso não é a comparação entre duas frutas, mas, sim, entre as cores dessas duas frutas.

Como está escrito, a rigor, comparou-se  a cor da laranja com um abacate, o que é absurdo, pois ou você compara cor com cor ou fruta com fruta.

Corrigindo:

A cor da laranja é diferente da do abacate. (a palavra “cor”, antes de “abacate”, pode ser omitida porque é de fácil depreensão)

A laranja é diferente do abacate. (comparação lícita entre duas frutas)

Aplicação – Corrija os deslizes na linguagem dos fragmentos que seguem:

O ritmo da música baiana é mais cadenciado do que a cearense.

O tiro de um fuzil é comparável a uma metralhadora.

Os brasileiros têm melhor qualidade de vida do que os países da África.  

Possíveis soluções – O ritmo da música baiana é mais cadenciado do que o da cearense. / O tiro de um fuzil é comparável ao impacto de uma metralhadora. / Os brasileiros têm melhor qualidade de vida do que a dos africanos.  

Cuidado, pois, ao escrever!

As concessões da linguagem oral não devem contaminar o texto formal.

Agora é com você.

Recebida uma tira, como dissertar?

Diante de uma tira, o primeiro passo a tomar é o de ler e reler os textos verbais (título e troca de diálogos entre personagens, por exemplo) e não verbais (cenários, cores, expressões faciais, gestos, posturas e biótipos dos personagens).

A seguir, procure  depreender o assunto (do que trata a tira?) para, somente depois, chegar à tese (qual a mensagem que se pode extrair depois de interpretar as informações verbais e não verbais da tira?).

Lembre-se de que ler significa somar as informações visuais às não visuais.

As primeiras são ascendentes, ou seja, saltam do papel para os nossos olhos e são processadas pelo cérebro, que contextualiza o que se está vendo e dá-lhe um sentido em função das segundas, que são descendentes e dependem da cultura geral de quem lê.

Assim, quanto maior for o nível de informações que o leitor já tenha retido em função da sua experiência de vida, de estudos e senso crítico, mais precisa e rica será a interpretação da tira.

Dada uma tira, assim, procure observar todos os apelos que ela possa oferecer-lhe.

Essas dicas valem também para a produção de textos dissertativos baseados em desenhos, ilustrações, gráficos e estampas.

Como, então, planejar a redação diante do que foi pedido? Sugerimos o seguinte esquema:

Introdução: breve contextualização (se for o caso) + apresentação da tese depreendida da tira + argumentos que possam sustentar a tese + plano de curso (como o texto será desenvolvido) + objetivo do trabalho (se for o caso).

Parágrafos mediais: reapresentação e desenvolvimento (expansão) dos argumentos, cada qual em seu respectivo parágrafo, na ordem crescente de importância.

Conclusão: expressão inicial (facultativa) + reafirmação da tese do texto + apresentação de soluções à situação-problema da tira (se for o caso) + apreciação final.

Agora é com você!

Se desejar a profundar o estudo, adquira os livros REDAÇÃO PARA VESTIBULARES, CONCURSO E ENEM e DISSERTAÇÃO NOTA MIL.

Como livros físicos, para quem mora em Fortaleza, é possível encontrá-los nos Shoppings  Aldeota (Livraria Acadêmica) e Avenida (Loja HBM).

Bons estudos!

Não trema diante da folha de redação

É natural que você sinta aquele friozinho na barriga antes de enfrentar a questão de Redação do seu vestibular, concurso ou Enem.

É sinal de que você está investido(a) de responsabilidade por saber muito bem da importância da questão para o seu sucesso acadêmico.

Não permita, entretanto, que esse friozinho na barriga se transforme em pânico!

Quanto melhor condicionado você estiver, fique certo disto, menor será o estresse diante desse desafio.

Como então conseguir o melhor condicionamento para a produção de um texto de até 30 linhas em situação de provas?

Aqui vão algumas dicas:

  • tenha um rotina de treinamentos durante a fase de preparação.
  • sugerimos pelo menos dois textos por semana.
  • ao treinar, crie as mesmas condições do dia da prova, mesmo que você esteja em casa.
  • não admita ser interrompido(a) durante a realização do trabalho.
  • não use corretivos nem consulte dicionários.
  • realize a questão em até 1h30min.
  • não se contente com o número mínimo de linhas admitido pela banca de correção.
  • garanta-se na aplicação da gramática normativa e no uso das técnicas de redação.
  • vá em frente, com fluência e adequação, sempre de olho na proposta, perguntando a si próprio(a) se o texto está respondendo ao pedido da questão.
  • não deixe de submeter os seus textos à correção de quem entenda do assunto.

Para aprofundar o estudo, adquira os nossos livros REDAÇÃO PARA CONCURSOS, VESTIBULARES E ENEM e DISSERTAÇÃO NOTA MIL.

Bons estudos!

Observe as simetrias

A linguagem do seu texto dissertativo deve estabelecer simetria entre os termos das frases, assim como das frases e dos parágrafos entre si.

Veja os seguintes exemplos, nos quais os termos que se correspondem estão em negrito:

1) Viajei de Paris a Roma. 

# ao de, corresponde o a (Paris e Roma repelem o artigo a).

2) Viajei da França à Alemanha. 

# ao da, corresponde o à  (França e Alemanha aceitam o artigo a).

  • Seria errado, portanto, escrever Viajei de Paris à Roma. ou Viajei da França Alemanha.

3) Trabalho de segunda a sexta-feira. 

# ao de, corresponde o a (antes de sexta-feira).

4) Trabalho da segunda à sexta-feira.

# ao da, corresponde o à.

  • Seria errado, portanto, escrever Trabalho de segunda à sexta-feira. ou Trabalho da segunda a sexta-feira. 

5) Esperei pelo embarque das 14h às 16h30.

# ao das, corresponde o às (a palavra horas, quando exatas, exige o artigo).

6) Esperei pelo embarque de 14h a 16h30.

# ao de, corresponde o a (apenas para horas aproximadas).

  • Esteja atento a esta construção: As horas preferidas do meu dia são as 12h, quando saio para almoçar, e as 21h, quando vou à academia. 
  • Nesses casos, trata-se apenas de artigos, por isso não é o caso de usar acento grave. É bem diferente de Às 12h, saio para almoçar e, às 21h, vou à academia.

Aplicação – Complete as lacunas com a, as, à, às, de, das:

O rodízio é mais barato de segunda ____ quinta-feira.

Estarei em provas da quarta ____ sexta-feira.

A matéria do teste vai da página 25 ____ 70.

Li as páginas de 25 ____ 70.

A loja funciona ____ 9h às 12h, de segundas  ____ sábados.

Foi uma longa viagem, de 25 de maio ____ 30 de junho, de Santiago ____ Buenos Aires.

Estarei  no local combinado entre ____ 12h e ____ 12h30.

Estudarei das 14h ____ 18h50.

A padaria atende de 200 ____ 250 fregueses diariamente.

Crianças da 1ª ____ 4ª série estão dispensadas das aulas.

As viagens aéreas de Madri ____ Lisboa estarão suspensas de 2 ____ 15 de maio.

Respostas: O rodízio é mais barato de segunda a quinta-feira. / Estarei em provas da quarta à sexta-feira. / A matéria do teste vai da página 25 à 70. / Li as páginas de 25 a 70. / A loja funciona das 9h às 12h, de segundas a sábados. / Foi uma longa viagem, de 25 de maio a 30 de junho, de Santiago a Buenos Aires. / Estarei no local combinado entre as 12h e as 12h30. / Estudarei das 14h às 18h50. / A padaria atende de 200 a 250 fregueses diariamente. / Crianças da 1ª à 4ª série estão dispensadas das aulas. / As viagens aéreas de Madri a Lisboa estarão suspensas de 2 a 15 de maio.

Muita atenção, pois, ao escrever!

Bons estudos!

Tome cuidado com os pronomes possessivos de terceira pessoa

Textos dissertativos requerem linguagem precisa.

Permitir, portanto, mais de uma interpretação do que se escreve significa fragilizar a argumentação.

Todo cuidado, pois com os pronomes seu(s), sua(s) e lhe(s), já que, dependendo da construção frasal, eles podem gerar ambiguidades (duplo sentido).

Veja alguns exemplos:

  • O diretor orientou ao secretário que deletasse a sua petição. (petição de quem?)
  • O réu alegou ao juiz que a vítima mentira sobre o seu comportamento. (comportamento de quem?)
  • O pai pediu ao filho que alimentasse o seu cachorro. (cachorro de quem?)
  • João disse à mãe ter esquecido o conselho que a avó lhe passara. (a quem fora passado o conselho da avó?)

Para você treinar – Desfaça as ambiguidades em decorrência do mau uso dos pronomes:

O sargento informou ao tenente que encontrara a sua pistola. (a quem pertencia a pistola?)

O filho devolveu ao pai o seu passaporte. (de quem era o passaporte?)

João contou ao vizinho que lhe roubaram a bicicleta. (de quem era a bicicleta?)

Possíveis soluções:

O sargento informou ao tenente que encontrara a pistola do oficial.

O filho devolveu ao pai o passaporte do genitor.

− Roubaram-me a bicicleta, contou João ao vizinho. 

Especialmente em dissertações, todo cuidado é pouco.

Portanto, olho vivo!