Categoria: Vestibulares

Você já tem um grupo de estudos?

Conselho para este início de ano: forme um grupo de estudos para a troca de ideias sobre temas da atualidade e realização de simulados.

Os amigos mais chegados, desde que sejam afins, podem ser os seus melhores professores na discussão de assuntos de prova.

Três ou quatro deles é o número máximo desejável, porque grupos mais numerosos geram dispersões e comprometem o rendimento.

Dê um toque de profissionalismo às reuniões: elabore programações mensais a serem cumpridas, eleja as pautas de assuntos a serem discutidos e programe atividades a serem desenvolvidas em cada encontro.

Sugestão: agende simulados por conta própria, muito dos quais estão disponíveis na internet, discuta a sua resolução e, depois de tudo, saia com os amigos para comer uma pizza e relaxar.

Bons estudos!

Você conhece a estrutura do texto dissertativo-argumentativo padrão?

Conhecer a estrutura básica de um texto dissertativo-argumentativo de até 30 linhas é fundamental à emissão de uma tese (opinião sobre determinado assunto) e a sua defesa ao longo da composição.

Observe o que se espera do seu texto dissertativo quanto ao aspecto estrutural:

  • Introdução [tese do texto + apresentação dos argumentos (na ordem crescente de importância) + plano de curso (se for o caso) + objetivo(s) do texto (se for o caso)].

Exemplo: A prática regular de esportes é benéfica a pessoas de quaisquer idades (tese do texto), porque (sinal de pontuação + conector) contribui para a socialização (apresentação do 1º argumento) e, acima de tudo, (sinais de pontuação + conectores de adição e ênfase) faz bem à saúde (apresentação do 2º argumento). Comprovar essa tese nos parágrafos subsequentes é o foco deste trabalho. (plano de curso + objetivo do texto)

  • Nos parágrafos mediais, você deverá reapresentar os argumentos apresentados na Introdução e desenvolvê-los na forma de tópicos frasais (teses) dos seus respectivos parágrafos. Se necessário, emita uma conclusão parcial ao final de cada parágrafo.
  • Terminado o desenvolvimento, você chega à Conclusão, a qual deverá reafirmar a tese do texto, oferecer possíveis soluções/sugestões à situação-problema da questão (se for o caso) e apresentar uma apreciação final (fechamento do texto).

Exemplo:  Diante disso (expressão inicial, facultativa), confirma-se que praticar esportes regularmente é muito positivo a toda pessoa (reafirmação da tese do texto), com ganhos que não se restringem ao praticante, mas chegam a repercutir na segurança e no bem-estar de toda a sociedade. Assim, sugerem-se iniciativas como a construção de quadras poliesportivas, o lançamento de campanhas de incentivo ao esporte e o patrocínio de atletas diferenciados que possam servir de exemplos aos mais jovens. (sugestões ou soluções a determinada situação-problema) Assim, mais do que mero entretenimento, a prática desportiva assume relevância na prevenção e no enfrentamento de problemas sociais e sanitários do Brasil. (apreciação final)

  • Escolher um título interessante (em alguns exames, vestibulares e concursos é facultativo) é o último passo. Uma boa dica é retirá-lo do último parágrafo.

Não deixe de treinar, treinar e…treinar!

Dissertação Nota Mil, é possível sim!

Especialmente concebido para você, concurseiro(a), vestibulando(a) ou estudante do Ensino Médio, aqui está o livro Dissertação Nota Mil, em 302 páginas de conteúdos, exercícios e propostas de redação.digitalizar0001

Esperamos, dessa forma, contribuir para a otimização da sua desenvoltura linguística e habilitá-lo(a) ao sucesso em provas de seleção.

Diferentemente da leitura de um romance, esta obra deve ser consumida aos poucos, capítulo por capítulo, em pelo menos quatro meses de preparação, a fim de que os embasamentos teóricos sejam perfeitamente assimilados com a realização dos exercícios e das práticas textuais sugeridas.

Importantíssimo será treinar à exaustão a produção textual (sugerimos duas vezes por semana para textos de até 30 linhas).

Não se esqueça de entregar os seus textos para correção de quem entenda do assunto.

Se desejar, contrate os nossos serviços de correção: você produz o texto, digitaliza-o e remete-o para nós.

Em curto prazo, restituímos o texto corrigido e comentado.

E tem mais: a cada redação enviada, você terá direito a 10min de skype para os comentários adicionais do professor.

Aposte nisto: a Redação Mil espera por você!!!

Boa leitura!

 

 

Como se escreve: à vista ou a vista?

Depende de cada caso. Veja bem:

# Como locução feminina, use à vista. 

Exemplo 1: Comprei o celular à vista.

# A vista (artigo a + substantivo vista) não pede o acento grave.

Exemplo 2A vista do Cristo Redentor é incomparável.

Dica importante: para não errar mais,  é sempre bom fazer sumárias análises sintáticas de tudo que se escreva a fim de perceber as sutilezas do texto e reconhecer o mais adequado emprego da ortografia conforme cada construção frasal.

Olho vivo!

Conheça as provas anteriores

Procure conhecer o estilo da prova que você deverá enfrentar.

Esteja ciente dos detalhes que diferenciam a sua prova das demais.

Para isso, leia com muita atenção o Edital e o Manual do Candidato a ser adquirido com a confirmação da sua inscrição.

Importante também será considerar as últimas tendências da comissão responsável pela elaboração das provas, particularmente com relação à Questão de Redação.

Para tal, resolva e analise as provas dos últimos três anos para conhecer o grau de dificuldade e o estilo das questões formuladas.

Não deixe de treinar exaustivamente a produção textual.

Recomendamos a dosagem de dois textos por semana, nas mesmas condições da prova, sem a consulta a dicionários e sem o uso de corretivos, em aproximadamente 1h30min.

Bons estudos!

 

Simplicidade é virtude!

Sim, especialmente em textos dissertativos, simplicidade é virtude!

Uma redação de vestibular, concurso ou Enem deve dar o seu recado na medida certa, sem digressões nem excessos.

Não confunda, entretanto, simplicidade com pobreza de ideias, pois enquanto esta denigre o texto, aquela torna-o virtuoso pelo fácil entendimento que proporciona ao leitor.

Aqui vão algumas dicas:

  • busque uma linguagem predominantemente denotativa (precisa), clara, retilínea e objetiva.
  • antes de começar a escrever, planeje o que será afirmado ou negado.
  • seja racional, frio, calculista, pois o sentimentalismo poderá contaminar o seu texto com exageros descabidos.
  • produza orações preferencialmente do tipo SPC (Sujeito – Predicado – Complementos, nessa ordem).
  • evite rodeios desnecessários, pois texto circular é um convite à nota baixa.
  • crie o reflexo de fazer uma faxina no texto antes de passá-lo a limpo, eliminando todas as “gorduras textuais” (todo adereço literário que possa ser tirado do texto sem lhe causar prejuízos).
  • use as figuras de linguagem com muita moderação, apenas quando forem absolutamente necessárias.
  • empregue o menor número possível de palavras nas frases, de frases nos períodos e de períodos nos parágrafos.
  • evite o uso desnecessário de palavras estrangeiras.
  • sempre que treinar a produção de um texto, leia-o em voz alta para perceber a sua clareza.
  • tenha por hábito entregar os seus textos de treinamento a quem possa emitir pareceres sobre a qualidade do trabalho.
  • por fim, não deixe de treinar, treinar e …treinar a produção textual.

Se desejar a profundar os estudos sobre produção textual, adquira os livros REDAÇÃO PARA VESTIBULARES, CONCURSO E ENEM e DISSERTAÇÃO NOTA MIL.

Como livros físicos, para quem mora em Fortaleza, é possível encontrá-los nos Shoppings Aldeota (Livraria Acadêmica) e Avenida (Loja HBM).

Bons estudos!

Amontoado de ideias não é texto!

A palavra texto vem do latim “textus”, que significa “tecer”, “entrelaçar fios”.

Associe o seu projeto de redação à imagem de um tapete a ser tecido com o entrelaçamento de inúmeros fios coloridos que, devidamente cruzados, possam formar os nós que lhe darão forma, cor e tensão.

Ora, assim como fios soltos sobre a bancada não constituem o tecido que nós chamamos de tapete, ideias desconexas, por mais brilhantes possam parecer, não formam o texto.

Com efeito, por analogia, o texto é um tecido intelectual composto de ideias sustentadas por palavras que se articulam em frases, frases que constituem períodos, períodos que formam parágrafos e parágrafos que servem de fios condutores da linha de pensamento do escritor.

A gênese do texto, assim, está na(s) ideia(s) de quem irá concebê-lo, você.

Seja, pois, fértil em ideias que possam ser muito bem valorizadas com o uso justo da linguagem em construções frasais adequadas a cada situação.

Para ampliar o seu banco de ideias e desenvolver a sua acuidade sobre os principais temas da atualidade, crie o hábito da leitura, com o qual você assimilará palavras e modelos de construções frasais que lhe ajudarão a tornar-se desenvolto em suas produções textuais.

Ademais, dê especial atenção aos conectores, especialmente as conjunções, os pronomes relativos, as preposições.

Empregue corretamente os sinais de pontuação, já que assim você estará evitando fragmentar o texto com orações e expressões desconexas.

Esse é o seu desafio.

Bons estudos!

Calma, você chega lá!

Não queira tornar-se bom(boa) escritor(a) da noite para o dia como que em passe de mágica.

A maturidade linguística estará a caminho em um processo que, para alguns, poderá parecer longo e penoso demais; para outros, nem tanto.

Encare cada deslize observado pelo professor como nova oportunidade de retificação da aprendizagem.

Não admita, entretanto, repetir os erros observados em trabalhos anteriores.

Seja paciente, mas não frouxo(a) na observância dos pontos que mereçam ser melhorados em sua redação.

Busque ser perfeccionista e rigoroso(a) no acatamento das correções sugeridas.

Não tolere comodismo nem admita desânimo.

Vá sempre em frente, perseguindo o texto Nota Mil!

Espelhe-se em candidatos que se deram bem em redações de concursos e exames.

Não tente copiá-los! Seja você mesmo(a), apenas se inspire neles.

Observe um bom exemplo de redação de até 30 linhas, a qual foi NOTA MIL no Enem de 2015, cujo tema foi o seguinte: A persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira.

Desconstruindo ideologias: sob a égide da democracia

O preconceito contra o sexo feminino é um problema que assola o cotidiano pós-moderno, sendo inúmeras as formas por meio das quais tal discriminação se apresenta. Seja por meio da violência física, psicológica, sexual ou patrimonial, as mulheres têm sofrido nas mãos de agressores que veem no sexo feminino um elemento “frágil”, ideologia que é a completa  antítese das democracias contemporâneas, supostamente liberais e igualitárias. Nesse contexto, deve-se discutir a persistência da violência contra a mulher na sociedade brasileira.

Desde os primórdios da civilização, foi criado um estereótipo que  reservava às mulheres apenas as funções domésticas e de procriação, excluindo a possibilidade de seu ingresso nas esferas da política ou mesmo do   trabalho. Todavia, tal estereótipo vem sendo desconstruído, ao passo que as  mulheres conquistam mais espaço nas relações sociais, políticas e econômicas ao redor do mundo. Toma-se  como exemplo as lideranças políticas alemã, argentina e, principalmente, brasileira: hoje, tais cargos são exercidos por mulheres, realidade improvável há algumas décadas.

Todavia, ideologias preconceituosas e agressivas ainda são inerentes à sociedade brasileira, constituindo um entrave ao progresso da nação como um todo. Este quadro se torna evidente ao serem apresentados dados disponibilizados no site da revista “Istoé”: no  período de setembro de 2006 a  março de 2011, mais de 330 mil processos com base na Lei Maria da   Penha foram instaurados nos juizados e varas especializados. É no mínimo incoerente que, em pleno século XXI, junto a um cenário pautado pelas   ideias de igualdade e liberdade como base fundamental de toda e qualquer democracia, ainda existam milhares de mulheres sofrendo por agressões de natureza absolutamente injustificável.

Assim, é imprescindível que medidas sejam tomadas para a compleição de uma democracia justa e igualitária em sua plenitude. Desse modo, cabe ao Governo tornar mais rígida a legislação concernente ao bem-estar do sexo feminino, tomando as devidas providências quando algo estiver em  desacordo com o que prega a Lei; às escolas, cabe o dever de instruir as   gerações futuras quanto à igualdade entre os cidadãos de uma democracia, conscientizando-os do caráter absurdo presente em atos discriminatórios e agressivos. Por fim, lança-se um apelo às vítimas, ressaltando-se que a     denúncia é a forma mais eficiente de se combater o problema. Afinal, à guisa de Simone de Beauvoir, o opressor não seria tão forte se não encontrasse cúmplices entre os próprios oprimidos.

(Amanda Della Togna Torres,17 anos, Novo Horizonte, SP,  fonte: http://temas.folha.uol.com.br/enem-nota-mil, acesso em 15/5/16)

Tudo pela linguagem

A linguagem é o código por meio do qual as ideias do emissor chegam ao receptor e por ele são entendidas.

Quando se trata de dissertação, a formalidade impõe-se.

As gírias e os clichês, portanto, devem ser evitados.

A clareza deve ser buscada com construções frasais simples, preferencialmente na ordem direta e com vocabulário preciso.

Deve-se usar com muito cuidado as intercalações e as inversões, já que poderão trazer algum ruído ao entendimento do texto.

A coesão e a coerência podem ser conseguidas com planejamento acurado de como se deva apresentar e desenvolver cada ideia e adequado emprego dos conectores e dos sinais de pontuação.

Aqui vão algumas dicas interessantes:

  • Prefira a linguagem positiva à negativa

Evite a linguagem negativa. Pelo contrário, busque construções que tornem o seu discurso o mais positivo possível!

Quando você diz “o que não é” no lugar “do que seja”, o texto se torna menos preciso; além do mais, tende para o negativismo, pode contaminar o todo e torná-lo enfadonho.

Exemplo: Em vez de “Não se acredita na  recuperação da economia.”, escreva “Desconfia-se da recuperação da economia.

  • Prefira a linguagem concreta à abstrata

Evite usar adjetivos abstratos, que não acrescentem atributos mais precisos aos substantivos, tais como maravilhoso (qual o seu entendimento de “maravilhoso”?), bonito (baseado em que parâmetros você atribui ao substantivo essa apreciação?), fantástico (o que possa ser “fantástico” para você pode não ser assim tão impressionante para o leitor).Prefira a linguagem concreta à abstrata

  • Prefira a linguagem específica à genérica

Não somente as formas positivas e concretas da linguagem são aconselháveis, mas também as específicas.

Para tal, evite fazer uso de termos genéricos, de significação muito ampla, de pouca especificidade, pois poderão comprometer a precisão do texto.

  • Fuja das indefinições

Os artigos e pronomes indefinidos um, uma, uns, umas, muitos, muitas, vários, várias, todos, todas e alguém, dentre outros, tiram a força dos substantivos, tornam-nos vagos e poluem o texto.

Fuja deles, pois, para tornar a sua linguagem dissertativa a mais precisa possível.

Experimente dispensá-los e verifique se haverá prejuízos à clareza do que você quis dizer; se não, na maioria das vezes é só omiti-los.

Exemplo: Preciso ler umas revistas sobre algumas atualidades para adquirir uma boa cultura geral.

Melhor redação: Preciso ler revistas sobre atualidades para adquirir boa cultura geral.

  • Tome cuidado com os pronomes possessivos de terceira pessoa

Os pronomes possessivos seu(s), sua(s) e lhe(s), dependendo da construção da frase, podem gerar ambiguidades (duplo sentido) como em Rafael disse à Joana que perdera o seu celular. (celular de quem?) / O pai pediu ao filho que alimentasse o seu cachorro. (cachorro de quem?) / João disse à mãe ter esquecido o conselho que a avó lhe passara. (a quem fora passado o conselho da avó?)

Agora é treinar, treinar e…treinar!

Bons estudos!

Você está “antenado(a)”?

Estar “antenado” significa ser participativo(a) e estar atento(a) à realidade do  seu contexto socioeconômico. 

Sim, a começar pelo da família, passando pelo do seu bairro, da sua cidade, do estado e país até chegar à leitura diária da conjuntura internacional.

Seja questionador(a), não aceite a realidade dos fatos sem antes refletir e perguntar a si próprio(a) se não poderia ser diferente ou melhor.

Procure praticar individual e rotineiramente o exercício intelectual de buscar possíveis soluções para problemas em todos os níveis da sociedade.

Por exemplo, o que dizer sobre alguns assuntos da atualidade que merecem reflexão: violência contra a mulher, evasão escolar, corrupção na política, queda na qualidade de vida do brasileiro, pouca credibilidade dos homens públicos, problemas econômicos nacionais, elevação nos índices de desemprego.

Ao estimular a mente para buscar soluções para as questões nacionais mais graves, você estará levantando ideias e argumentos que poderão ser muito úteis à Questão de Redação.

Assim procedendo, você desenvolverá a sua fluência argumentativa e otimizará as chances de dar-se bem em provas discursivas.

Se desejar aprofundar os seus estudos, adquira os nossos livros Redação para Vestibulares, Concursos e Enem e Dissertação Nota Mil.

Em Fortaleza, como livros impressos, você poderá encontrá-los nos Shoppings Aldeota (livraria Acadêmica) e Avenida (loja HBM).

Boa leitura!