Categoria: Escolas Militares

Palavras parônimas, o que são?

Você já deve ter ficado em dúvida com o emprego de certas palavras e expressões, chamadas de parônimas, as quais, apesar de muito semelhantes na grafia, têm significados singulares e muitas vezes bem díspares.

A desatenção, assim, poderá causar-lhe constrangimentos, quando não a perda de preciosos pontos na correção da redação.

Por exemplo, trocar “incipiente” por “insipiente” muda completamente o sentido da frase, já que enquanto o primeiro significa “novato”, o segundo, “negligente”.

Observe, pois, algumas palavras parônimas  e constate o melhor emprego de cada caso:

Palavras Significados mais usuais em redações Exemplos
Absolver inocentar, isentar, dar por inocente. O júri absolveu o réu.
Absorver aspirar, sorver, ingerir, embeber-se. O solo absorveu a água da chuva.
Acender atear (fogo), inflamar. O padre acendeu a vela.
Ascender subir, elevar-se. O padre ascendeu ao bispado.
Acento sinal gráfico, inflexão vocal. Não esqueça os acentos das palavras.
Assento banco, cadeira. O Brasil tomou assento no Mercosul.
Acerca de sobre, a respeito de. O presidente falou acerca de guerras.
A cerca de distância aproximada. Moro a cerca de dez quadras da praça.
tempo estimado. Estou a cerca de um mês da viagem.
Há cerca de faz aproximadamente (tanto tempo). Operei-me há cerca de um ano.
existência aproximada. Há cerca de mil títulos no catálogo.
Acidente desastre,  imprevisto com danos. O temporal causou mortes no parque.
Incidente contratempo, casualidade sem danos. O mal-entendido está superado.
Adotar assumir, escolher, preferir. Adotaremos o plano B.
Dotar dar em doação, beneficiar. Dotaremos a equipe de todo apoio.
Afim afinidade, semelhança. Os parágrafos devem ser afins.
A fim de finalidade, objetivo. Estudo a fim de vencer na vida.
Alto grande altura, elevado. Pagamos alto preço pelo atraso.
Auto ato público, peça processual. Os autos do inquérito estão prontos.
Aleatório casual, fortuito, acidental. A escolha do líder será aleatória.
Alheatório alienante, que desvia ou perturba. A falta de leitura é alheatória.

Somente compare elementos de mesma natureza

Seria ilógico você comparar um elefante a uma cadeira, não é mesmo?

Pois bem, absurdo análogo pode acontecer, mesmo que de forma mais sutil, quando omitimos alguns termos da oração em casos de comparação.

Exempo: A cor da laranja é diferente do abacate.

Comentário: Ora, o que está em jogo nesse caso não é a comparação entre duas frutas, mas, sim, entre as cores dessas duas frutas.  Como está escrito, comparou-se a cor da laranja com um abacate, o que é absurdo, pois ou você compara cor com cor ou fruta com fruta.

Corrigindo: A cor da laranja é diferente da do abacate. (a palavra cor, antes de abacate, pode ser omitida porque é de fácil depreensão) ou A laranja é diferente do abacate.

Aplicação: Corrija os deslizes na linguagem dos fragmentos que seguem:

O ritmo da música baiana é mais cadenciado do que a cearense.

O tiro de um fuzil é comparável a uma metralhadora.

Os brasileiros têm melhor qualidade de vida que os países da África.

Possíveis soluções:  O ritmo da música baiana é mais cadenciado do que o da cearense. / O tiro de um fuzil é comparável ao impacto de uma metralhadora. / Os brasileiros têm melhor qualidade de vida do que os africanos. 

Agora é com você!

Ao escrever, esteja atento(a) a esses pormenores que poderão ser-lhe cruciais, já que, se não observados, comprometerão a lógica dos seus fragmentos literários.

Bons estudos!

Análises comparativas, outra boa opção

Há assuntos que nos permitem fazer análises comparativas antes de chegarmos a alguma conclusão em textos dissertativos de até 30 linhas.

Trata-se de boa opção de esquema para textos dissertativos, uma vez que poderá permitir ao leitor interessantes e conclusivas percepções do confronto entre pontos notáveis comuns de contextos distintos.

Por exemplo, é possível comparar os perfis socioeconômicos de jovens oriundos de famílias abastadas com os de contextos familiares carentes, sob diferentes ângulos ou aspectos, tais como nível de escolaridade,  estado sanitário e expectativas profissionais.

Para efeito de estudo de método, é importante definir, antes de qualquer análise comparativa, os pontos segundo os quais será efetivada a comparação entre distintos contextos .

Se você estiver planejando comparar, por exemplo, carreiras profissionais de estado com as liberais, poderá eleger, por exemplo, aspectos comuns a ambas, como estabilidade no emprego, empregabilidade, nível salarial, possibilidade de ascensão funcional, acesso a planos de saúde.

Considere a seguinte tese: São flagrantes as diferenças entre as carreiras de estado e as liberais no Brasil.

Sugere-se a seguinte esquematização:

Introdução: breve contextualização (se for o caso) + estabelecimento da tese + plano de curso do texto (apresentação de aspectos segundo os quais a análise comparativa entre distintos contextos será realizada) + objetivo(s) do texto (se for o caso).

2º parágrafo: análise de aspectos relacionados ao contexto 1 (emissão de juízo de valor referente às carreiras de estado, baseado nos aspectos apresentados na Introdução).

3º parágrafo: análise dos mesmos aspectos, agora relacionados ao contexto 2 (emissão de juízo de valor referente às carreiras liberais, baseado nos mesmos aspectos apresentados na Introdução).

Conclusão: expressão inicial (facultativa) + retomada da tese + análise comparativa final (síntese) + apresentação de soluções a eventuais problemas considerados no desenvolvimento (se for o caso) + apreciação final.

Você precisa treinar a produção textual para enfrentar as naturais dificuldades de quem precisa enfrentar questões de redação de exames de seleção.

Aproveite a tese sugerida e, em aproximadamente 1h30min, crie um texto e submeta-o à avaliação de quem entenda do assunto.

Bom trabalho!

Busque a diversidade vocabular

Usufruir da variedade de palavras e expressões em língua portuguesa dará a você flexibilidade linguística, expressivo ganho diante de concorrentes que não estejam na posse desse trunfo.

Lembre-se de que o vocabulário variado torna o texto mais interessante, na medida em que a linguagem fica menos cansativa. Tudo pelo leitor!

Observe, pois, o quadro abaixo, que mostra substantivos, verbos e adjetivos que , conforme cada caso, poderão ser usados para aludir a ideias de finalidade, oposição ou consequência.

Introduzindo a ideia de…

Exemplos

…objetivo, finalidade, propósito, intenção. substantivos alvo, anelo, anseio, aspiração, desejo, desiderato, desígnio, escopo, finalidade, ideal, intento, intuito, meta, objeto, plano, pretensão, projeto.
verbos almejar, ansiar, aspirar, desejar, decidir-se a, idealizar, intencionar, intentar, objetivar, planejar, pretender, projetar, ter em mira, ter em mente, ter em vista.
 

…oposição.

 

 

 

substantivos adversidade, adversário, ânimo hostil,  animo-sidade, antagonismo, antipatia, competição, contrapartida, contraposição, contrariedade, contratempo, empecilho, força maior, hostilidade, impedimento, objeção, óbice, obstáculo, polarização, reação, resistência, rivalidade,  relutância, teimosia, tendência contrária.
verbos contrapor-se a, confrontar, defrontar-se com, dificultar, embargar, enfrentar, estorvar, fazer frente a, impedir, indeferir, ir de encontro a, objetar, obstar, opor-se a, ser contrário a, reagir.
adjetivos antagônico, confrontante, contrário, discor-dante, oponente, oposto.
…resultado, conclusão consequência. substantivos efeito, produto, sequência, corolário, decorrência, fruto, obra, criação, reflexo, desfecho, desenlace.
verbos advir, decorrer, derivar, provir, vir de,  manar,  resultar, seguir-se a, ser resultado de, ter origem em, ter fonte em.
adjetivos decorrente, descendente, proveniente, resul-tante, originário.

Dissertação baseada em provérbios ou frases de efeito

É possível que você seja solicitado(a) a produzir textos dissertativo-argumentativos de enunciados que apresentem um ou mais provérbios a serem interpretados para a depreensão do tema a ser desenvolvido em seu texto.

Pois bem, o que fazer nesses casos?

Primeiramente é bom recordar que provérbio é uma frase popular, baseada no senso comum, que nasce anonimamente da experiência de vida de um povo e retrata o cotidiano das pessoas nas mais diversas circunstâncias.

Exemplos de provérbios:Cachorro que late não morde” e “De grão em grão a galinha enche o papo.”

Dado um provérbio, você deve interpretá-lo e resumi-lo, se possível a uma única palavra, para chegar ao assunto ou a uma frase curta que lhe seja condizente já na forma de tese.

Exemplo: “Quem tudo quer tudo perde” pode ser resumido por “ganância” (assunto) e “A ambição desmedida é o prenúncio da perda.” (tese).

No desenvolvimento da redação, expanda a tese com os argumentos que possam sustentá-la, sempre avaliando o(s) princípio(s) de sabedoria em foco.

Procure tornar o texto o mais concreto possível a fim de fazê-lo compreensível para o leitor; para tal, use exemplos, narre fatos, estabeleça relações de implicação e empregue figuras que apliquem os valores sobre os quais você esteja dissertando.

Além dos provérbios, frases de efeito, quase sempre com conteúdo filosófico e moral, a exemplo de “Navegar é preciso, viver não é preciso” (Fernando Pessoa), devem merecer o mesmo tratamento, ou seja, inicialmente devem sintetizadas, entendidas e interpretadas para que você faça as suas introspecções e chegue à tese a ser desenvolvida, sempre com a preocupação de aproximar o texto do mundo real de um suposto leitor universal.

Exemplos de teses oriundas de provérbios e frases de efeito

Provérbios e frases de efeito

Teses depreendidas

Santo de casa não faz milagre. Pouco valor se dá às pessoas com as quais se convive.
Errar é humano. O homem está sujeito a cometer erros.
Nem só de pão vive o homem. O homem precisa cultuar também valores espirituais.
Nem tudo que reluz é ouro. As aparências são enganosas.
Escreve as injúrias na areia e grava os benefícios no mármore. Devemos esquecer as ofensas e lembrar os benefícios que recebemos dos outros.
Não existe alguém tão ignorante que não nos possa ensinar algo. Todas as pessoas têm algo a nos ensinar.
Faça o bem sem olhar a quem. O bem deve ser praticado indistintamente.
A solidão é oficina de ideias. Estar só estimula a reflexão e o pulsar de ideias.

Seja criativo(a), torne o seu texto interessante!

Quem gosta de repetição é pêndulo!

Não há nada mais enfadonho do que a leitura de um texto que tenha sido produzido sem criatividade, com repetições evitáveis, redundâncias e anacronismos.

A diversidade de recursos linguísticos e de pensamento empregados na redação de vestibulares, concursos e Enem, mesmo que somente em até 30 linhas, poderá contribuir para a retenção do interesse do corretor e a aquisição de natural simpatia pelo trabalho como um todo.

Sendo assim, procure ser criativo(a) e evite ao máximo as repetições, quaisquer sejam elas, de sons, de palavras e expressões, ou de construções frasais.

Veja, por exemplo, como melhorar a escrita de uma simples oração: No Paquistão, a lava do vulcão assustou a população.

Corrigindo: A lava do vulcão assustou os paquistaneses.

Observe o trabalho intelectual de reengenharia:

  1. Primeiramente, buscou-se trazer o Sujeito – A lava do vulcão – para o início do discurso, por sugestão do modelo SPC (Sujeito-Predicado-Complementos) em nome da clareza.
  2. Não vale dizer que você não possa admitir eventuais inversões ou intercalações na apresentação dos termos das orações ou das orações de períodos. Pelo contrário, tais procedimentos poderão até ser interessantes para quebrar o ritmo do texto e torná-lo mais agradável; não abuse, entretanto, deles.
  3. Continuando a avaliar o exemplo, usou-se ainda o recurso de substituir com vantagem o adjunto adverbial de lugar – No Paquistão –, que estava deslocado, e as palavras a população pelo gentílico paquistaneses; com isso, foi dito o mesmo com a economia de duas palavras em apenas uma oração.
  4. Além do mais, evitou-se o eco entre Paquistão, vulcão e população.

Pelo visto, só vantagens ao texto como resultado do zelo pessoal de quem escreve.

Sendo assim, enquanto estiver produzindo a sua redação, procure estar atento(a) a eventuais problemas de linguagem.

Bons estudos!

Quando usar os dois-pontos

Esta é uma pergunta recorrente: – Professor, quando posso usar os dois-pontos?

Vamos lá: o uso dos dois-pontos é adequado nestes dois casos:

  • na anunciação de tópicos, resumos, citações e falas do discurso direto.

Exemplos:  1) Os pontos fracos do time são estes: falta de confiança dos atletas e preparo físico aquém do desejável. 2) Fomos mal na Copa do Mundo e na Copa América. Em resumo: o futebol brasileiro precisa de melhores resultados!  3) O pai, emocionado, falou: – Filho, estou orgulhoso de você.

  • antes de orações apositivas.

Exemplo: Dou-lhe dois conselhos: leia mais e redija com mais frequência.

Simples, não? Agora é com você!

Não deixe de treinar a produção textual à exaustão.

Entregue os seus textos a quem entenda do assunto para avaliá-los.

Bons estudos!

Você sabe usar aspas?

Veja situações que facultam o uso das aspas:

  • antes e depois de uma citação: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida”, disse Jesus.
  • diante de expressões de destaque: O “é proibido proibir” fez oposição à censura durante o regime militar.
  • para denunciar palavras estrangeiras e gírias: O “script” foi bem decorado.

Observações:

  1. Evite, quando possível, os estrangeirismos. Dê preferência a palavras em língua portuguesa, pois assim, além prestigiar a língua-mãe, você estará diminuindo a ocorrência de aspas no texto.
  2. Em textos de até 30 linhas, como normalmente acontece em exames de seleção, não abuse das aspas. Pelo contrário, seja original e busque empregar um vocabulário preciso que dispense tal recurso. Lembre-se de que as bancas de concursos estão mais preocupadas em saber o que você tem a dizer sobre determinado assunto, no seu estilo e com o seu léxico, e não o que alguém de renome tenha dito.
  3. Excepcionalmente, você poderá empregar aspas simples quando houver uma citação dentro de outra citação. Exemplo: “As palavras de Jesus, ‘Eu sou o caminho, a verdade e a vida’, nos convocam a buscar vida plena Nele.”, disse o pároco durante a missa.

Bons estudos!

Você sabe usar o ponto-e-vírgula?

Esta é uma questão que traz embaraços : o uso do ponto-e-vírgula.

Observe duas situações em que você poderá usá-los com acerto:

  • para separar orações coordenadas de certa  extensão.

Exemplo: O professor, muito atenciosamente, solicitou-nos aguardar pelas notas da prova enquanto ultimava a correção e conferia a exatidão dos lançamentos; foi preciso, pois, muita paciência, em ambiente de muita expectativa, até que saiu o resultado: estávamos aprovados!

  • em enumerações.

Exemplo: Siga os seguintes passos para planejar um texto: escreva as ideias que vierem à cabeça a respeito do assunto; selecione-as; organize-as; ordene-as; expanda-as em parágrafos; escolha o título; passe o texto a limpo; e faça uma bela revisão final.

Pronto, acabou o mistério!

Não deixe de produzir pelo menos dois textos de treinamento por semana!

Bons estudos!

Quando usar travessões?

Veja em que casos você poderá usar os travessões no seu texto:

  • para separar duas orações coordenadas que já contenham vírgulas ou que sejam longas.

Exemplo: Usar celular em sala de aula, mesmo que no modo silencioso, deve ser proibido em turmas do Ensino Médio, pois desvia a atenção dos alunos – os professores que o digam –, principalmente em aulas expositivas.

  • para destacar.

Exemplo: Você merece toda a nossa admiração – enfatizou o pai.

  • no discurso direto.

Exemplo:

 – O que você pretende fazer após o cinema?, perguntei meio sem graça.

 – Comer uma bela pizza com você, ela me respondeu.

  • para substituir parênteses, vírgulas e dois-pontos, conforme a construção frasal.

Importante: os travessões são muito úteis para  destacar a parte do texto que seja mais relevante. Use-os, entretanto, com moderação, pois do contrário deixarão de produzir o efeito desejado por se tornarem banais.

Bons estudos!