Fique atento(a) ao emprego dos pronomes relativos!

Os pronomes relativos são excelentes conectores de ideias a serem articuladas na sustentação de uma tese.

Empregá-los acertadamente, assim, poderá tornar a linguagem concisa e fluente pelo evitamento da repetição de palavras  e  fragmentos textuais.

O seu uso inadequado, porém, poderá gerar ambiguidades (duplo sentido) e comprometer a argumentação.

Exemplo 1: Roubaram a mochila do notebook sobre a mesa. 

Veja que você fica sem saber o que de fato estava sobre a mesa: a mochila ou o notebook?

Correção 1: Roubaram a mochila do notebook a qual estava sobre a mesa.

Correção 2: Roubaram a mochila do notebook o qual estava sobre a mesa.

Exemplo 2: Guardamos os livros que encontramos na sala.

Perceba a ambiguidade: foram guardados (não se sabe onde) apenas os livros encontrados na sala? Ou foram guardados na sala todos os livros encontrados na casa?

Correção 1: Guardamos, na sala, todos os livros encontrados na casa.

Correção 2: Guardamos, na biblioteca, todos os livros encontrados na sala.

Olho vivo!

 

Se você desejar aprofundar o estudo, adquira os e-books de nossa autoria, campeões de venda na Amazon: Em Fortaleza, como livros impressos, você poderá encontrá-los nas livrarias Acadêmica (Shopping Aldeota), Saraiva (Shopping Iguatemi) e loja HBM (Shopping Avenida). Agora é treinar, treinar e… treinar!