Respeite os paralelismos sintáticos!

Guarde bem isto: elementos de mesma hierarquia e função devem ser apresentados no texto mediante construções frasais que gramaticalmente se correspondam.

Sendo assim, uma locução nominal deve estar paralela a outra locução nominal; um verbo, a outro verbo; uma oração reduzida de infinitivo, a outra reduzida de infinitivo; e assim por diante.

Exemplo 1:

  • O juiz exigiu do atleta mais moderação em suas atitudes e que pedisse desculpas ao adversário. 

Nessa construção há falta de paralelismo sintático, pois ao termo moderação, um nome, não corresponde outro nome, mas uma oração (que pedisse desculpas ao adversário).

Correção 1: O juiz exigiu do atleta mais moderação (substantivo) em suas atitudes e o pedido (substantivo) de desculpas ao adversário.

Correção 2: O juiz exigiu do atleta que moderasse as suas atitudes (oração) e pedisse desculpas ao adversário. (oração)

Você poderá perguntar-se: qual a melhor solução das duas?

Na dúvida, embora ambas estejam gramaticalmente certas, fique com a mais concisa, simples e direta, a primeira.

Exemplo 2:

  • A mãe não escondia a sua impaciência e estar angustiada com o atraso do filho.

Não há correspondência entre impaciência (substantivo) e estar (verbo no infinitivo); portanto, não foi observado o paralelismo sintático.

Correção 1: A mãe não escondia a impaciência (substantivo) e a angústia (substantivo) com o atraso do filho.

Correção 2: A mãe não escondia estar impaciente (adjetivo) e angustiada (adjetivo) com o atraso do filho.

Exemplo 3:

  • Ao motorista infrator, o guarda pediu a carteira de identidade e que mostrasse o documento de habilitação.

Pelo visto, ao nome carteira de identidade não corresponde outro nome, mas sim uma oração (que mostrasse o documento de habilitação).

Correção 1: Ao motorista infrator, o guarda pediu a carteira de identidade (nome) e o documento de habilitação (nome).

Correção 2: Ao motorista infrator, o guarda pediu a carteira de motorista (oração) e conferiu o documento de habilitação. (oração)

  • O superfaturamento de obras públicas é o retrato maior do Brasil: fraudadores, políticos contaminados pela corrupção, Justiça lenta e sensação de impunidade.

Se você fizer uma análise morfológica dos termos enumerados após os dois-pontos, verá que não são de mesma natureza e, logo, não se correlacionam sintaticamente.

Correção: O superfaturamento de obras públicas é o retrato maior do Brasil: fraudes, corrupção na política, lentidão da Justiça e sensação de impunidade. (nome, nome, nome, nome)

Agora é treinar, treinar e… treinar!

Se você desejar aprofundar o estudo, adquira os e-books de nossa autoria, campeões de venda na Amazon: Em Fortaleza, como livros impressos, você poderá encontrá-los nas livrarias Acadêmica (Shopping Aldeota), Saraiva (Shopping Iguatemi) e loja HBM (Shopping Avenida). Agora é treinar, treinar e… treinar!