Em dissertações, fuja das indefinições

Os artigos e pronomes indefinidos um, uma, uns, umas, muitos, muitas, vários, várias, todos, todas e alguém, dentre outros, tiram a força dos substantivos, tornam-nos vagos e poluem o texto.

Fuja deles, pois, para tornar a sua linguagem dissertativa a mais precisa possível.

Experimente dispensá-los e verifique se haverá prejuízos à clareza do que você quis afirmar ou negar no texto.

Se a sua exclusão não trouxer danos ao texto, na maioria das vezes é só omiti-los.

Exemplo: Preciso ler umas revistas sobre algumas atualidades para adquirir uma boa cultura geral.

Corrigindo: Preciso ler revistas sobre atualidades para adquirir boa cultura geral. 

Para você treinar: elimine as indefinições dos períodos que seguem e constate como o discurso se torna mais preciso:

Um hábito de leitura pode ajudar vários estudantes que aspiram a passar em uns concursos públicos que lhes ofereçam muitas oportunidades de ascensão profissional.

Todas as crianças precisam de uns carinhos dos pais, pois ninguém pode dispensar umas atenções de alguém que esteja por perto em seu dia a dia.

Todo presidente da República alega ter recebido uma herança maldita de seus antecessores como justificativa das várias falhas de seu governo.

Possíveis respostas:  O hábito da leitura pode ajudar estudantes que aspiram a passar em concursos públicos. / Crianças precisam de carinho dos pais, pois ninguém pode dispensar atenções de quem esteja por perto. / Presidentes da República alegam ter recebido heranças malditas como justificativa das falhas de seu governo.

Para aprofundar o estudo, adquira  os e-books de nossa autoria pelo site da Amazon: REDAÇÃO PARA VESTIBULARES, CONCURSOS E ENEM e DISSERTAÇÃO NOTA MIL, dois campeões em vendagem.

Boa leitura!

Se você desejar aprofundar o estudo, adquira os e-books de nossa autoria, campeões de venda na Amazon: Em Fortaleza, como livros impressos, você poderá encontrá-los nas livrarias Acadêmica (Shopping Aldeota), Saraiva (Shopping Iguatemi) e loja HBM (Shopping Avenida). Agora é treinar, treinar e… treinar!