Você sabe produzir um artigo? Veja como.

Trata-se o artigo de um texto jornalístico dissertativo, opinativo, assinado, por meio do qual o autor apresenta o posicionamento pessoal e desenvolve críticas a problemas sociais, políticos, culturais, filosóficos e ambientais, dentre outros.

O articulista precisa possuir bom conhecimento da matéria a ser tratada no texto, razão pela qual deve ler muito e pesquisar bastante sobre o assunto da pauta, pois somente assim estará apto a embasar consistentemente a sua argumentação.

Nesse tipo de texto, o autor tem a liberdade de usar a primeira pessoa e deixar transparecer o seu inconformismo ou o seu entusiasmo com as questões em foco, tudo na intenção de despertar no leitor posicionamentos, por exemplo, ideológicos, políticos, religiosos, ecológicos e educacionais.

Exemplo de artigo:

 

Como lidar com a frustração da reprovação

José Ivair Motta Filho*

As festividades do fim do ano parecem não ter a mesma magia para quem não atingiu o sucesso esperado nos estudos. A reprovação – seja no Ensino Fundamental, no Ensino Médio ou no vestibular – vem sempre acompanhada do sentimento de frustração. A adrenalina e outros hormônios liberados nessas situações podem induzir o estudante ou os próprios pais a agirem por impulso e procurar uma forma de recusar, fugir, transferir, mascarar, adiar ou esconder o problema. Por padrão, aprendemos que devemos evitar de qualquer forma as variações do “volte uma casa”.

Terceirizar a culpa pela derrota, culpando alguém ou algum fator externo não é uma boa escolha para tentar tirar dos ombros o peso do erro. A estratégia pode ser útil para aliviar a pressão, mas dificilmente resolverá o problema. O melhor caminho é aceitar o fracasso como apenas mais um degrau para o sucesso. Afinal, aprendemos muito mais com nossos erros que com os acertos. Mas, para isso, precisamos aceitar a derrota e entender onde falhamos.

Errar é o que nos faz humano. Apesar da dor, o momento em que se reconhece o fracasso é libertador. Só depois de entender os erros é possível ver o que deveria ter sido feito e como investir em novas ideias de uma forma diferente. Não se trata de celebrar a derrota, porque obviamente ninguém gosta de errar, mas aceitar que até as falhas possuem seu lado positivo e saber tirar lições das adversidades. Henry Ford foi à falência cinco vezes antes de construir uma fábrica moderna e um carro simples, acessível e fácil de usar, tornando-se um sucesso em vendas. Albert Einstein foi reprovado no primeiro vestibular. A história de Harry Potter, de J. K. Rowling, foi recusada por dezenas de editoras e demorou sete anos para ser publicada.

Antes de ficar para a história com um homem de sucesso, Steve Jobs, o fundador da Apple, desistiu da escola e foi afastado da própria empresa. Aos 30 anos estava devastado, mas considerou a queda como aprendizado e, por isso, mudou sua forma de agir e entrou num dos períodos mais criativos da sua vida. Regressou à Apple e, sob sua orientação, a empresa criou vários produtos icônicos, como o iPod, o iPhone e o iPad, entrando no período de maior ascensão da companhia. O que diferencia os vencedores é a atitude positiva diante de suas derrotas. O medo de errar afeta negativamente os estudantes por toda a vida escolar. E é exatamente esse mesmo medo que pode nos impedir de fracassar que nos distancia do sucesso. Crianças e adolescentes que não aceitam os erros possuem menor disposição a assumir riscos – e, sem riscos, dificilmente há grandes conquistas.

Um ano cursado novamente não é um ano perdido. É mais uma chance de alcançar o próximo degrau com o máximo de aproveitamento. A repetência é um mecanismo que impede que alguém sem os requisitos necessários mude de etapa – e é importante entender que cada um tem o seu tempo. De que adianta passar no vestibular e entrar numa faculdade de engenharia sem entender de Matemática? Afinal, é melhor ser repetente na escola que reprovado pela sociedade, pelo mercado de trabalho e pela vida.

* José Ivair Motta Filho é professor de Física do Ensino Médio no Colégio Positivo e de Cálculo Diferencial e Integral das Engenharias na Universidade Positivo.

(Artigo por Central Press, 21/12/15)

Fonte: http://www.portaleducacao.com.br, acesso em 17/1/16.

 

 

 

 

Se você desejar aprofundar o estudo, adquira os e-books de nossa autoria, campeões de venda na Amazon: Em Fortaleza, como livros impressos, você poderá encontrá-los nas livrarias Acadêmica (Shopping Aldeota), Saraiva (Shopping Iguatemi) e loja HBM (Shopping Avenida). Agora é treinar, treinar e… treinar!