Faça adequado uso dos elementos de coesão

A coesão, como já visto, está relacionada ao emprego de conectores que sirvam de pontes entre enunciados que mantenham vínculos de significado.

Saber empregá-los evita a redação de textos fragmentados (separados quando deveriam estar juntos) ou siameses (juntos quando deveriam estar separados).

Para cada propósito você deverá empregar elementos de coesão adequados a cada relação semântica e que não comprometam o sequenciamento do que se lê, como os que seguem:

Para introduzir ideia de…

Exemplos

 …prioridade ou relevância. acima de tudo, antes de mais nada, em primeiro lugar, destacadamente, mormente, precipuamente, primeiramente, primordialmente, principalmente, sobremaneira, sobretudo.
 …semelhança, comparação, conformação. analogamente, assim como, assim também, da mesma forma, de acordo com, de conformidade com, de maneira idêntica, do mesmo modo, conforme, consoante, igualmente, por analogia, semelhantemente, segundo, similarmente, sob o mesmo ponto de vista (além das conjunções comparativas).
…adição, continuação. ademais, ainda mais, além disso, além do mais, outrossim, por outro lado, também (além das conjunções coordenativas aditivas).
…dúvida. é provável, é possível, possivelmente, provavelmente, quem sabe, quiçá, não é certo, se é que, talvez.
 …certeza, ênfase. certamente, indubitavelmente, incontestavelmente, inegavelmente, inquestionavelmente, irrefutavelmente, decerto, seguramente, por certo, sem dúvida.
…surpresa, imprevisto. de súbito, inesperadamente, inopinadamente, intempestivamente, repentinamente, surpreendentemente, subitamente.
…ilustração, esclarecimento. a saber, a exemplo de, em outras palavras, isto é, ou seja, por exemplo, quer dizer.
…propósito, intenção, objetivo, finalidade. a fim de, com o propósito de, com o fim de, com o fito de, intencionalmente, com o (no) intuito de, propositadamente, propositalmente, de propósito, na intenção de, no intuito de (além das conjunções finais).
 …lugar. aqui, ali, acolá, além, alhures, aquém, dentro, fora, junto a(de), mais adiante, nenhures, perto de, próximo a(de) (além de outros advérbios de lugar).
 …causa e efeito. à conta disso, assim, com efeito, como resultado, consequentemente, daí, de fato, dessa forma, desse modo, devido a isso, em razão de (disso), em virtude de (disso), em vista de (disso), por causa de (disso), por isso, por conseguinte, por(em) consequência (além das conjunções causais, conclusivas e explicativas).
…contraste, oposição, restrição, ressalva. a menos que, a não ser que, às avessas, em oposição a, em contraste com, exceto, pelo contrário, salvo (além das conjunções adversativas e concessivas).
 …referência em geral. pronomes adjetivos (anterior, posterior, último, penúltimo,…), pronomes demonstrativos (este, esse, aquele,…) e pessoais, numerais ordinais, sinônimos e hiperônimos.

Observe as regências verbais

Conhecer as regências verbais e observá-las é sinal de conhecimento das normais gramaticais da linguagem culta.

Observe, no quadro abaixo, alguns empregos mais comuns.

Considere a seguinte legenda: VT = Verbo Transitivo.  VTD = Verbo Transitivo Direto. VTI = Verbo Transitivo Indireto.  VTDI = Verbo Transitivo Direto e Indireto.  VI = Verbo Intransitivo.

Verbos

Regências Significados

Exemplos

Agradar VTI Satisfazer, tornar-se agradável. O filho agradou ao pai.
VTD Acariciar, fazer agrados. A menina agrada o seu ursinho.
Aspirar VTD Respirar, inalar. Aspiramos muita fumaça.
VTI Almejar, desejar. Aspirar ao sucesso é o meu desejo.
Assistir VTI Ver, presenciar. Assisti ao jogo em pé.
VTI Fazer jus a algum direito. Não lhe assiste esse direito.
VI Residir, morar. Assistimos em Blumenau.
VTD Socorrer. O médico assistiu os feridos.
Chamar VTD Fazer vir, interpelar alguém. Já o chamaremos.
VTDI Qualificar alguém de algo. O juiz chamou-o de covarde.
Chegar VTI Chegar a algum destino. Chegamos tarde ao clube.
Esquecer VTD Esquecer algo. Esqueça o que lhe dissemos.
Pronominal Esquecer-se de algo. Não se esqueça do diário.

 

Favorecer VTD Proteger com parcialidade. A decisão favoreceu o inquilino.
VTDI Beneficiar, obsequiar. Deus a favoreceu com a beleza.
Pronominal Valer-se, auxiliar-se. O réu favoreceu-se dos amigos.
Implicar VTD Redundar, repercutir, causar. Andar na moda implica gastar.
VTI Importunar, incomodar-se. Não implique com os meus erros.
VTI Comprometer-se, envolver-se. Detesto implicar-me em bate-bocas.
Informar VTDI Transmitir algo a alguém. Informarei o furto ao guarda.
VTDI Deixar alguém ciente de algo. Informarei o guarda do furto.
Lembrar VTD Lembrar algo. Lembrei que hoje é feriado.
Pronominal Lembrar-se de algo. Lembrei-me de que hoje é feriado.
Obedecer VTI Obedecer a algo ou a alguém. Obedeça às leis de trânsito.
Pagar VTD Quitar alguma dívida. Paguei a sua despesa.
VTDI Pagar a alguém alguma dívida. Paguei a sua despesa ao garçom.
Perdoar VTD Perdoar alguma coisa. Já perdoamos a dívida.
VTDI Perdoar algo a alguém. Já lhe perdoamos a dívida.
VTI Perdoar a alguém. Jamais vos perdoaremos.
Preferir VTDI Preferir alguma coisa a outra. Preferimos laranjada à limonada.
Proceder VTI Dar início, efetuar, fazer. O mestre já procedeu à chamada.
VI Ter fundamento. As suas críticas não procedem.
VTI Originar-se, derivar. A banda procede do Sul.
Querer VTD Desejar, aspirar a algo. Queremos o sucesso.
VTI Estimar. Nós lhe queremos bem.
Servir VTD Oferecer algum serviço. O garçom já serviu o jantar.
VTI Prestar serviços. O soldado serve à pátria.
VTDI Servir algo a alguém. Servirei o café a vocês.
Pronominal Apropriar-se de algo. O secretário serviu-se do cargo.
Simpatizar  VTI Nutrir simpatia. Simpatizei com você.
Visar VTD Conferir, apor visto. O gerente visou o cheque.
VTD Apontar. O fuzileiro visou o alvo.
VTI Pretender, aspirar a algo. O governador visa à reeleição.

 

Exemplos de emprego de verbos no infinitivo

Emprego do Infinitivo

Formas

Situações: quando a ação…

Exemplos

Impessoal …for atinente a qualquer pessoa. Dormir pouco gera ansiedade.
 

 

 

Pessoal não-flexionado

…indicar ações genéricas. Nadar faz-me feliz.
…equivaler a um imperativo. Sossegar! Durma, já é tarde.
…formar oração que complemente substantivos e adjetivos. Temos o dever de ouvir os mais velhos. / Estavam dispostos a resistir.
…formar locução verbal. Desejamos ouvir todo o discurso.
…tiver o mesmo sujeito da oração principal. Tomastes a resolução de desistir?
…formar locução com os verbos estar, começar, entrar, continuar, acabar, tornar e outros análogos (regida das preposições “a” ou “de”). As crianças acabam de sair. / Comecei a chorar de tanta emoção. / Acabamos de chegar da praia.
…tiver como sujeito um pronome oblíquo com o qual construa o objeto dos verbos deixar, fazer, mandar, ver, ouvir e sentir. Deixei-a falar à vontade. / Faça-os entrar. / Vejo-os agir como crianças.
  Pessoal flexionado …tiver sujeito próprio, diverso do da oração principal. Comprei uma casa para nela morares.
…vier regida de preposição, sobretudo se preceder ao verbo da oração principal. Ao virem-no, choraram.
…for verbo passivo, reflexivo ou pronominal. Viviam juntos sem se conhecerem.
…for necessária para clarificar o sujeito. Teria sido melhor teres feito isso ontem.
…estiver afastada do verbo auxiliar ou do seu sujeito. Os pais incentivavam os atletas da seleção, mesmo que a conquista do campeonato estivesse cada vez mais distante em face dos resultados adversos iniciais, a lutarem até o fim.
… for apenas recurso de expressão. Percebi-os saírem juntos, a cavalo.

Você sabe empregar verbos no infinitivo?

O infinitivo é uma das três formas nominais dos verbos (as outras duas são o particípio passado e o gerúndio) e indica ações que desempenham funções semelhantes às dos substantivos, sem situá-las no tempo.

São três as possibilidades de você fazer uso do infinitivo, como:

  • pessoal flexionado (Exemplo: É bom irmos embora.);
  • pessoal não-flexionado (Exemplo: Devemos ir embora.); e
  • impessoal (Exemplo: Ir embora é recomendável).

No primeiro caso, a forma nominal admite a flexão de pessoa, da seguinte forma:

  • a primeira (eu) e a terceira pessoa do singular (ele/ela) são idênticas à do infinitivo impessoal;
  • a segunda pessoa do singular (tu) é obtida pelo acréscimo da desinência “-es”;
  • a primeira, a segunda e a terceira do plural (nós, vós, eles/elas), pelo acréscimo das desinências “-mos”, “-des” e “-em”, respectivamente.

Observe o exemplo de flexão do verbo “cantar” no infinitivo pessoal: cantar (eu), cantares (tu), cantar (você), cantarmos (nós), cantardes (vós), cantarem (vocês).

No segundo caso, como já visto, você pode trabalhar com o verbo no infinitivo pessoal não-flexionado, seguindo o modelo do infinitivo impessoal. Exemplo: Espero vê-lo cantar com emoção!

Finalmente, em enunciação de teses ou quando houver a intenção de omitir o agente da ação, o infinitivo impessoal é o mais indicado. Exemplos: Cantar afasta a tristeza. / Caminhar três vezes por semana faz bem à saúde.

Agora é com você!

Fuja dos verbos genéricos

Evite verbos que caibam em qualquer contexto, tais como fazer, pôr, dizer, ter, ver e colocar.

Substitua-os por outros mais precisos que caracterizem melhor a ação sugerida e contribuam para a concisão do texto.

Veja alguns exemplos:

Em vez de…

Prefira…

Fazer uma redação. Redigir uma redação.
Fazer uma fossa. Cavar uma fossa.
Fazer uma estátua. Esculpir uma estátua.
Fazer aniversário. Comemorar aniversário.
Pôr dinheiro no banco. Depositar dinheiro no banco.
Pôr os filhos na escola. Matricular os filhos na escola.
Pôr uma roupa. Vestir uma roupa.
Dizer adeus. Despedir-se.
Dizer poemas. Declamar poemas.
Dizer exemplos. Citar exemplos.
Ter dor de cabeça. Sentir dor de cabeça.
Ter medo de cachorro bravo. Temer cachorro bravo.
Ter boa reputação. Gozar de boa reputação.
Ver o jogo de futebol. Assistir ao jogo de futebol.
Ver os pormenores do processo. Observar os pormenores do processo.
Ver a beleza de um quadro. Admirar a beleza de um quadro.
Colocar as gavetas em ordem. Organizar as gavetas.
Colocar acentos nas palavras. Acentuar as palavras.
Colocar o carro no estacionamento. Estacionar o carro.

Tome cuidado com o posicionamento dos termos

Guarde esta: o termo mais curto (com menor número de sílabas) deve, em princípio, ser posicionado na frente do mais longo.

Exemplo 1: O show de Jota Quest chegou com cenários e montagem modernos por R$ 250,00 o ingresso a Fortaleza.

Veja bem: “com cenários e montagem modernos” tem 11 sílabas e “a Fortaleza”, apenas 5.

Melhor redação: O show de Jota Quest chegou a Fortaleza com cenários e montagem modernos por R$ 250,00 o ingresso.

Exemplo 2: O diretor do colégio pediu que entregássemos até a próxima aula os trabalhos.

Nessa construção frasal o complemento “os trabalhos” ficou depois de “até a próxima aula.”

Melhor redação: O diretor do colégio pediu aos alunos que entregassem os trabalhos até a próxima aula.

Compare as duas construções frasais que seguem e observe como a segunda ficou bem mais harmoniosa: O time do Santos goleou em noite de grande futebol o São Paulo. / O time do Santos goleou o São Paulo em noite de grande futebol. (Termo mais curto, o São Paulo, antes do mais longo, em noite de grande futebol.)

Olho vivo!

Qual o papel da coesão sequencial?

A coesão sequencial cumpre o papel de estabelecer pontes que atribuam relações de sentido entre os enunciados do texto, normalmente com o adequado emprego das conjunções.

Se você, portanto, estiver precisando rever as conjunções coordenativas e subordinativas mais indicadas para cada caso, não deixe de fazê-lo o quanto antes.

Responda às duas aplicações abaixo e verifique o seu desempenho com relação a esse assunto:

1ª) Complete as lacunas, estabelecendo as relações de implicação sugeridas entre parênteses com elos adequados a cada caso:

a) O carteiro, _________________ gripado, não deixou de comparecer ao trabalho. (concessão)

b) _________________ o time jogou mal, não haverá gratificação aos jogadores. (causa)

c) O professor faltou à aula; deve, _________________, estar doente. (conclusão)

d) Estudo muito, _________________ser diplomata. (finalidade)

e) A prova está trabalhosa, _________________ os alunos ainda estão em sala. (explicação)

2ª) (Enem) Texto:

O Flamengo começou a partida no ataque, enquanto o Botafogo procurava fazer uma forte marcação no meio campo e tentar lançamentos para Victor Simões, isolado entre os zagueiros rubro-negros. Mesmo com mais posse de bola, o time dirigido por Cuca tinha grande dificuldade de chegar à área alvinegra por causa do bloqueio montado pelo Botafogo na frente da sua área.

No entanto, na primeira chance rubro-negra, saiu o gol. Após cruzamento da direita de Ibson, a zaga alvinegra rebateu a bola de cabeça para o meio da área. Kléberson apareceu na jogada e cabeceou por cima do goleiro Renan. Ronaldo Angelim apareceu nas costas da defesa e empurrou para o fundo da rede quase que em cima da linha: Flamengo 1 a 0.

O texto que narra uma parte do jogo final do Campeonato Carioca de futebol, realizado em 2009, contém vários conectivos, sendo que:

a) após é conectivo de causa, já que apresenta o motivo de a zaga alvinegra ter rebatido a bola de cabeça.

b) enquanto tem um significado alternativo uma vez que conecta duas opções possíveis para serem aplicadas no jogo.

c) no entanto tem significado de tempo, porque ordena os fatos observados no jogo em ordem cronológica de ocorrência.

d) mesmo traz ideia de concessão, já que “com mais posse de bola”, ter dificuldade não é algo naturalmente esperado.

e) por causa de indica consequência, porque as tentativas de ataque do Flamengo motivaram o Botafogo a fazer um bloqueio.

Confira as respostas:

1ª) a) embora (ou quaisquer outras conjunções coordenativas concessivas); b) Porque (ou quaisquer outras conjunções subordinativas causais); c) logo (ou quaisquer outras conjunções coordenativas conclusivas); d) a fim de (ou quaisquer outras conjunções subordinativas finais); e) porque (ou quaisquer outras conjunções coordenativas explicativas).

2ª) d)

A que visa a coesão referencial?

A coesão referencial visa a estabelecer referências sobre os termos a respeito dos quais se escreve, graças ao emprego de palavras anafóricas (que recuperem para o leitor o que já tenha sido citado no texto) e catafóricas (que remetam o leitor a termos ainda a serem anunciados).

Dentre essas palavras estão os pronomes relativos, demonstrativos, possessivos, pessoais da terceira pessoa ou as expressões nominais equivalentes.

A coesão referencial pode se dar em três níveis: pronominal, lexical e por elipse.

  • Coesão referencial pronominal: obtida basicamente com o emprego de pronomes.

Exemplos: As pessoas que riem vivem mais. (o pronome  relativo que retoma o sujeito As pessoas) / O guarda conversara com o menino e já o alertara dos riscos de acidente. (o pronome pessoal oblíquo o remete o leitor a o menino) / Carla e Pedro são alunos bem promissores; este se destaca em matemática; aquela, em  (os pronomes este e aquela retomam, respectivamente, Pedro e Carla.) / Contar-lhe-ei esta confidência: jamais acreditei nas estórias do nosso chefe. (o pronome esta, como catafórico, anuncia o que será dito.)

  • Coesão referencial lexical: estabelece-se pela conexão de sentidos mediante relações de sinonímia, antonímia, hiperonímia e hiponímia.

Exemplos: Pombos tomam conta de nossas praças, animais que, apesar de bonitinhos, transmitem doenças. (animais é um hiperônimo de pombos) / Os professores precisam de planos de carreira mais atraentes; do contrário, os docentes abandonarão as salas de aula. (a palavra docentes retoma professores como sinônima e estabelece conexão de sentido).

  • Coesão referencial por elipse: trata-se da supressão de um termo facilmente reconhecido no texto.

Exemplo: Os manifestantes radicalizaram quando decidiram interditar a estrada. (o sujeito da primeira oração, Os manifestantes,  está omitido na segunda oração – quando decidiram interditar a estrada. – , mas pode ser depreendido com facilidade.)

Olho vivo!

Como obter a coesão recorrencial

A coesão recorrencial é obtida com o uso de conectivos ou expressões que exerçam função anafórica, ou seja, substituam, resumam e retomem o que já tenha sido dito no lugar de substantivos, verbos, períodos ou fragmentos maiores do texto e permitam o desenvolvimento de comentários a respeito do que já tenha sido apresentado ao leitor.

Exemplos: Diante do que já foi exposto, … / Em vista disso, … / A partir dessas considerações, … / Desse modo, … / Em face do apresentado…

Aplicação (FGV, adaptado): Mas, enquanto isso, no mercado financeiro, os bancos pensam em como superar o dilema. O pronome grifado exerce uma função anafórica. Pedido: Assinale a alternativa em que isso NÃO ocorra. (FGV)

a) Chegamos no dia 22 às 23 horas. Nessa noite as estrelas pareciam brilhar mais do que costume.

b) Nossas dúvidas residem nisto: não saber equacionar problemas.

c) Os sistemas de busca estão atualizados. Em tais sistemas, é possível selecionar o idioma de preferência.

d) Nada há para julgar. Isso resolve mais facilmente o nosso problema.

e) Os amantes e os amados vivem em desencontros. Estes, mais perdidos que aqueles.

Resposta: b)

Saiba discernir os sentidos atribuídos pelas preposições

As preposições, como você muito bem já sabe, fazem o papel de elos entre os jatos de ideias de uma linha de pensamento, conferindo diferentes sentidos ao texto conforme as construções frasais nas quais estejam inseridas.

Observe o quadro abaixo, que contém apenas as preposições essenciais iniciadas pela letra “p”, e confira as várias possíveis contribuições semânticas:

   para Direção Irei para o bosque.
Tempo A reunião ficou para sábado.
Conformidade Para você, tudo tem solução.
Finalidade Treino para superar o recorde estudantil.
Condição Para convencer-me, contra-argumente muito bem.
Lugar Para além das escadas você encontra a biblioteca.
Restrição A sala já está reservada para vocês.
perante Posição Perante os subordinados a chefia é autoritária.
  por Meio Estive amparado por muletas.
Causa Por seus cabelos brancos imagino a sua idade.
Modo Calma, fale por partes, por favor.
Lugar O ladrão fugiu por baixo da cerca.
Agente O réu foi perdoado por uma das vítimas.
Tempo Por longo tempo permaneci à espera de sua resposta.

Em nosso livro Dissertação Nota Mil,  você encontra o quadro completo das possíveis relações de sentido das preposições.

Bons estudos!